Páginas

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Canja e cautela!



Canja e cautela não fazem mal a ninguém, diz o dito popular.
Não sei se sou exatamente cautelosa, talvez desconfiada seja uma palavra melhor. Depois de alguns tombos, acho que fiquei meio assim, desconfiada.

Mas os tombos da vida são inevitáveis e, no fim das contas, ser cauteloso (ou desconfiado) demais só nos faz perder oportunidades. Como disse ontem uma amigona querida com quem dei muita risada ao telefone, de um dia pro outro tudo muda, tudo se conserta e se ajeita, então por quê desistir antes de tentar?

Nos últimos dias, dediquei tempo e esforço a um projeto que foi, digamos, uma total decepção. Ou seja, valeu como um tombaço. E eu poderia ter evitado. Sim, poderia, mas não dava pra saber de antemão... nunca dá!

O que vale mesmo é que, logo depois do tombo, aparecem mãos amorosas que te ajudam a levantar e seguir. Ter a mão-irmã, a mão-amiga, a mão-mãe, a mão-amor é o melhor pedaço do tombo.
Então, deixemos o excesso de cautela de lado, porque é impossível não escorregar nunca. E levantar de novo e continuar é preciso.

E a canja? Detesto. Odeio aqueles fios de frango boiando num caldo esbranquiçado. Coisa de doente. Prefiro essa outra versão, deliciosa, que provei num dos casamentos mais lindos pro qual tive a alegria de ser convidada.
Não sei a receita correta, porque "aprendi" na tentativa e erro. Também não sei o nome da sopa, mas lá vai a receita:

1 xícara de grãos de cevadinha;
1 pacote de shiitake fresco;
shoyu;
azeite;
cebolinha ou nirá (o nirá é a "cebolinha" do alho, muito gostoso, mas bem forte, então é bom ter CAUTELA... hehehehehehehehehe).

Cozinhe a cevadinha em bastante água e escorra. Refogue o shiitake no azeite e tempere com shoyu à gosto. Eu acrescento um tiquinho de açúcar e saquê, mas é opcional. Cozinhe rapidamente e junte um litro (ou um pouco mais) de água fervente. Junte a cevadinha pré-cozida e deixe no fogo para pegar sabor. Prove e, se for necessário, salgue com mais shoyu. Tempere com a cebolinha sem voltar ao fogo e sirva.
Essa é daquelas sopinhas reconfortantes, que esquentam e ajudam a levantar de qualquer tombo. Tomei um pratão ontem à noite...
Bom final de semana!!!

11 comentários:

Claudia Martins disse...

Ana, bom dia!
Que blogueira madrugadora! Queria muito ter ido ao bazar do qual vc. participou aqui em SP, mas não deu...
Dá próxima vez que vier a SP, me dá um toque, vamos nos encontrar.
Beijão e ótimo final de semana...

Fabiana disse...

A vida está cheia de desafios. O negócio é seguir em frente e não nos deixar abater. Tudo serve de aprendizado mesmo.
Bjos no seu coração!
Fabi

Céres disse...

boas receitas - não desistir sem tentar - as vezes dá certo :)
e esta sopa de cevadinha!!! hummm! muito melhor que canja mesmo. e tentaste muitas vezes até acerta né?
um beijo bem grande e bom final de semana!!!!

Cláudia Mello disse...

Desistir, nunca!
Retroceder, jamais!
hehehehehehehe

Queridona, siga sempre em frente. Nem sempre as coisas acontecem do jeito que gostaríamos, mas vale a pena tentar e acreditar.

Vou experimentar a receita!

beijão e bom final de semana

PS: vc tem visto o Via Tarot? Achei interessante o que vc disse que aconteceu, porque "casou" com o Arcano do dia que escrevi ontem...

ana sinhana disse...

Clau, bruxinha do bem!!!
Casou mesmo... acabei de ler!!!
Céres, acho que um pouco de teimosia na hora de acertar o ponto da receita ajuda, né?
Nem tinha me dado conta, mas vc tem razão, tentei fazer a receita muitas vezes....
Fabi, a nossa casca é grossa... hehehehehehe... não é qualquer coisa que machuca, né?
Oi Cláudia!!! Vamos combinar sim!!!
Beijos
Ana

Pedaço de Amor disse...

fome...hummmm...

Juliana! disse...

É isso aí! O segredo do sucesso: nunca desistir!
Bjs

Mina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mina disse...

Há,há,há, comida de doente é ótimo! E eu que adoro canja porquê minha mãe é japonesa e nunca fez para mim, daí a vizinha brasileira fazia aquilo e o cheiro, o sabor eram deliciosos!!!! Tenho boas lembranças disso... Mas essa receita eu vou experimentar pois tem um quê de oriental né Ana? E com certeza, o importante é a gente enfrentar desafios, a gente cresce com os erros, enriquece, é barra mas assim são os seres humanos, para sentir o sabor da vitória temos que levar alguns tombos... beijos e muito obrigada pela receita aqui no seu Blog!

Mara Porto disse...

Ana a vida é assim, se não cair não tem como levantar, então bola pra frente, bjs.

andrea disse...

nem sei se dá pra chamar isso de canja !! só sei que a aparência e os ingredeientes são deliciosos, aposto que fica bárbara. vou testar :D ! bjs