Páginas

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O que me faz feliz...



O que me faria sair toda serelepe rumo ao centro da cidade numa sexta-feira de tempo instável, sujeito a chuvas e trovoadas, logo cedo?
Se a resposta foi: metros de tecidos lindos+cerca de 3 mil botões+um pijama de flanela estampado com coraçõezinhos+camisola fofa+delícias cheirosas da Lush, então, correto!
Tudo isso veio de uma amiga que conheci primeiro como cliente e com a qual criei um vínculo de confiança e cumplicidade que é algo assim, inusitado.
E o mais legal nisso é que bem poderíamos ter sido amigas de infância, pois a família dela (também de ascendência japonesa) é da mesma cidade do meu pai, onde passei muitas férias de verão; frequentamos, naquela cidade, o mesmo clube e a mais recente das coincidências descobertas é que ela foi aluna de mestrado do meu sogro.
Descobrimos tudo isso em muitas conversas online e trocas de e-mail e, embora ela hoje more muito, mas muito longe mesmo, virou uma amiga de todo dia.

Essa é das coisas mais bacanas de ter uma vida online ativa. De vez em quando, todas as barreiras e distâncias perdem a importância e vc acaba ganhando um amigo (e, em 2008, tive a alegria de conquistar algumas amizades queridas, que ultrapassaram totalmente as barreiras virtuais).

Ainda falando em amigos, reencontrei algumas amigas de ginásio neste ano, via internet, o que deu uma baita alegria. Ver as meninas com quem compartilhei sonhos de adolescente, com quem brinquei e até briguei muitas vezes, agora mulheres cuidando dos filhos (assim como eu!), foi muito, mas muito legal mesmo. E saber que a vida continua, que cada um segue seu rumo, mas a gente sempre pode (e deve) resgatar boas lembranças...

É claro que isso é raro e sempre tem algumas pedras no caminho, já que muita gente acha que pode falar o que e quando quiser, agir de forma rude ou se intrometer na vida alheia, pois a intimidade na internet parece instantânea. Parece, mas não é. E basta um pouco de bom senso pra saber que a coisa não é bem assim e, como em qualquer âmbito das relações humanas, há limites e regras.
Mas as pedras a gente joga pra beira da estrada e continua o caminho, que pode não ser sempre florido mas sempre podemos buscar boas companhias pra compartilhar o trajeto.

17 comentários:

Lu Gastal disse...

realmente, amiga... são momentos simples que fazem a gente feliz!
a foto é linda! o texto ídem!
beijo grande

Fabiana disse...

Que delícia!
Amizades verdadeiras estão além de tudo...

disse...

Viva esse loko mundinho virtual...rs, e ultrapassar as barreiras dele pra ter amigas como vc vale muito, mas muito a pena mesmo !!!

Beijo !!!
=D !!!

Céres disse...

concordo com a Rô! é incrível como a gente parece que tem um imã que nos leva e grudar nas pessoas com as quais temos afinidade! 2008 foi bem legal mesmo!
foto linda! texto lindo! sensíveis e delicados revelam uma querida!!!

Roberta Granada disse...

Oi , gosto muito do teu blog, eu tb tenho um blog http://agulhaetricot.blogspot.com,visite-me,beijo.

BananaCraft disse...

Ana,
o mundo virtual, no fundo, é igual ao nosso cotidiano. Repleto de coisas boas e de outras nem tanto. E, como em tudo na vida, nos reserva ótimas surpresas.
Adorei suas palavras!
Beijo grande :)

ana sinhana disse...

Oi Dani!
O ano de 2008 foi cheio de surpresas, algumas muito boas, outras nem tanto. E é assim que deve ser, né?
Olá Roberta! Depois vou te fazer uma visita!
beijos

Mina disse...

Ana, este ano foi muito intenso para mim e você foi uma das pessoas que gostei muito de ter conhecido via internet!!! E adoro seus trabalhos, suas palavras no blog, seu estilo, suas "camisetas"!!! beijo,

Anônimo disse...

Ola, cai no seu blog por acaso. Sou apaixonada por patchwork e o seu trabalho é lindo! Parabéns pelo seu blog. Depois vi sua foto, por um acaso vc estudou em Araraquara? Seria muita coincidencia...Um abraço Marina

ana sinhana disse...

Oi Marina!
Sim, fiz Economia na Unesp-Araraquara! E vc?
Oi Mina! Espero que em 2009 a gente possa se conhecer ao vivo e em cores, pois vc também foi uma das pessoas bacanas que encontrei por aqui!
Abraços e Feliz Natal!!!

Anônimo disse...

Você era minha veterana! Lembro uma vez quando a Elaine de Ribeirao ficou com vcs algum tempo eu e ela fizemos uma sujeira de carvao ENORME na sua casa, era a nossa peruada. Eu morria de vergonha sempre que via vc ou seu marido depois...Eu era da x turma e como vc acabei me casando com um colega de classe. Temos dois filhos.Moramos na Suiça, mas estamos de mudança pra Campinas no começo de 2009. Espero morar em algum lugar com espaço pra costurar...Mais uma vez parabéns pelo seu blog, sabe que sonhei com as coisas lindas que vc faz e com a coisa boa que os detalhes das suas fotos e seus textos mostram. Valeu!

Anônimo disse...

Ana, ops esqueci de assinar o comentario..Marina

ana sinhana disse...

Marina, que coisa mais engraçada!!!
Realmente, meu marido me lembrou da Elaine (que depois foi pra Usp-Ribeirão, né?), mas fique tranquila, que a gente não lembra de nenhuma história de carvão... hehehehehehe.
Que legal que vc vem pra Campinas!
A Fabiana e o Pedro, que eram da IX turma, moram aqui também e nós nos encontramos sempre que dá!
Me manda seu e-mail pra eu te passar meu telefone. Assim, quando vcs estiverem por aqui a gente combina de se conhecer de novo!!!
Moramos em Sousas. Vc já sabem onde irão morar?
beijo,
Ana

Ana Salles disse...

nem me fala hein mãe! (:
xoxo ;*

Mini Ateliê Teka e Fabi disse...

Delícia de texto, delícia de constatação... maturidade é tudo nessa vida!
Vc arrasa minha amiga!
Beijo

Window Flowers disse...

Ola...
Estava ha um tempao sem entrar aqui...Acho que desde agosto tenho hospedes direto e passava horas preparando a aula das meninas ... !

Que cabideiro mais maravilhoso...e voce falando sobre marcenaria. Seu trabalho nao se compara a nada que eu consiga fazer. Eh lindo.

Adorei os botoes e os tecidos.

Eu preferi passar o Natal aqui mesmo. Um pouco pelos mesmos motivos que voce falou...Mas estou mes sentindo muito bem. Comemoramos o Hanukah tambem, e um pouco antes as criancas tambem comemoraram o Festival das Luzes.
No fundo no fundo, todos nos queremos a mesma coisa. Amor, paz e luz. Nao importa credo, cor ou nacionalidade.

Que em 2009 voce continue super iluminada...e dividindo essa luz com tanta gente !

ps.: Por uma indicacao sua, pedi que viesse do Brasil o CD da Fernanda Takai. Ele me alivia a angustia quando estou com saudade do Brasil. Muito obrigada !!!!!

Um grande beijo,
Mari

* Atelier Ao Meu Gosto * disse...

Estou a babar-me!

Adoro tecidos, tenho tantos :)) tantos e nunca são demais!
É vício, prazer!

Lindo demais!