Páginas

quarta-feira, 24 de junho de 2009

14+14=28

Primeiro, veio a notícia da gravidez. Foi assim: nós dois, recém-formados, no primeiro ano de mestrado, saímos um dia pra comer uma caldeirada com a nossa madrinha-bruxa,de partida para a França. E ela profetizou: "eu acho que você tá grávida. e são gêmeos. e um deles vai morar comigo em Paris".
No dia seguinte, não sei se mais pelas cólicas ou pela madrinha, fui fazer um exame e logo veio o positivo. Deu certo frio na barriga, porque tem coisas que vc sonha e idealiza e espera pelo tal momento certo. Mas a vida te surpreende e nem sempre a hora certa é aquela perfeita que, cá entre nós, só existe na nossa cabeça.
Depois das primeiras comemorações, vieram dores, sangramento. E lá fui eu pro ultrassom. Logo de cara, a médica me pergunta: "tem histórico de gêmeos na família?" e eu "não!", como se essa fossse a possibilidade mais remotamente distante.
E a doutora me entrega a fotinho do ultrassom, com duas bolinhas. Eu acho que fiquei muda o resto do tempo. E muda, entreguei a foto pro marido, que lia na sala de espera. Ele entendeu logo, soltou uma exclamação e uma gargalhada espalhafatosas.
Veio a gravidez toda complicada, o repouso, a minha teimosia em não conseguir ficar parada, médico e monitoramento todo dia, a mudança de casa e de vida. E a espera pelo tão sonhado parto normal (confesso que essa é uma grande frustração minha; embora tenha entrado em trabalho de parto, nunca consegui chegar até o final).
Veio o parto, a amamentação, tudo num tremendo frio de junho. E os cuidados com dois bebezinhos tão, mas tão miúdos que dava medo de dar banho.
Hoje, quando olho as fotos e vejo nossas caras de criança, e penso na dureza daqueles dias (inclusive financeira), tenho a impressão de que não era eu mesma. Pra ser mãe e pai, nos revestimos de outras pessoas, ganhamos uma "roupa" compenetrada e correta pra usar em cima da angústia de, simplesmente, não ter certeza de estar fazendo certo.
O fato é que recebemos uma dádiva, um presente divino talvez grande demais, talvez cedo demais. Baita responsabilidade. Mas a gente deu conta do recado e, hoje, quando vejo os dois adolescentes que acabaram de sair pra escola, tão lindos e compenetrados em suas grandes-pequenas questões da vida, penso que não haveria jeito de ser mais feliz.
O melhor de ser pai e mãe é saber que vida continua nos filhos da gente. É dar e receber muitos beijos e abraços, mesmo sendo um mico. É cuidar da bronquite, da sinusite, da febre e da diarréia. É comemorar as conquistas no basquete, no violão, no kung fu, na arte e na matemática. É dar bronca, ser o chato que investiga, que controla o orkut e o msn, os decotes e o capuz do casaco pra sair no vento gelado. É ouvir Andrew Bird e Mallu, mesmo preferindo Bob Dylan. É se ver nas pequenas coisas e ter a lembrança do que já fomos. Tudo isso faz parte.
Mas, o melhor de tudo mesmo, é saber que a festa não é só de ano em ano. A festa e a alegria de receber um presentão duplo da vida é o tempo todo, mesmo quando a correria não nos permite se dar conta disso.
Feliz aniversário, Bia e João! São 28 anos juntos, 14 de cada um de vocês. Afinal, nessa vida tudo acontece ao-mesmo-tempo-agora. E a gente ama cada minuto com vocês, sempre (e aproveito o momento pra pedir desculpas por alguma coisa chata que o papai tenha feito... hahahahahahaha).

29 comentários:

Pil disse...

Ana, me emocionei muito com teu post. Fiquei pensando em mim, e nos meus medos e na criança que cresce dentro de mim. Sempre sonhei em ter gêmeos, mas Deus acreditou ser melhor 1 por vez. Então espero ansiosa e ao mesmo tempo apavorada a vinda do meu amado Nicolas. Ver tuas palavras e tuas emoções foi emocionante.

Parabéns para teus dois filhos!

bjos

Patricia

Dri Viaro disse...

Passei pra conhecer seu blog,desejo-lhe otima semana

bjs

aguardo sua visita :D

Eva disse...

Ana, achei linda a maneira como você descreveu a maternidade, seus medos e alegrias.

Vida longa aos gêmeos!

Paty disse...

Deus sabe o que faz, não é? A gente acha que não vai conseguir e qdo para pra ver deu tudo certo, apesar de algumas pedrinhas no caminho, talvez não tivesse "graça" se não fossem elas...como vc já sabe, sua família é linda e te admiro muito por isso!
14+14 bjos!

Rute disse...

parabéns aos gémeos... adorei o post descreve mto bem o k á a vida de mae/pai... tudo de bom para os gémeos...

Rosi disse...

Nossa, adorei o texto, sensível, comovente.
Primeira vez por aqui e adorando tudo que vi.
Convido-a conhecer meu cantinho, http://mundinhodarosi.blogspot.com passe por lá quando puder.
Um abraço

Bárbara Lopes disse...

Linda declaração Ana, tão sincera, de mãe mesmo! E para Bia e o Juca tudo de muito bom hoje e sempre! Farra infinita para estes dois! E muita benção para sua família que como já disseram aqui é linda e muito acolhedora!
Abraços!

dona perfeitinha disse...

Amei!
É tão bom ler palavras de amor escritas assim com tanto carinho como que só falando a seus filhos. Gêmeos! Não há histórico na minha família também. Será que esse trabalho dobrado e compensador pode acontecer comigo também? Às vezes me pergunto isso. Minha filha chegou de olhos muito azuis - hoje são esverdeados à claridade - acho que foi Deus mostrando-me sua força só porque à caminho do hospital brinquei com meu marido: Será que ela vai nascer com olhos claros? Rimos muito e nos surpreendemos horas depois com seus olhinhos azulados que permaneceram assim até seus 8,9 meses.
Um beijo,
Talita.

Kelly Reis disse...

Oi Ana,
Emocionante seu texto de hoje. Tanto que me fez comentar pela primeira vez no seu blog.
Tenho acompanhado assiduamente e vc tem sido a responsável por uns surtos "in red" na minha cozinha, viu! rs
Parabéns pros filhotes!
Bjs

harumi disse...

ah, ana, me emocionei tb!
42 beijocas noceis (14 nos aniversariantes do dia e mais um tanto procê!) *Ü*

Marta Diniz disse...

Oi Ana...

Estou acompanhando o seu blog, que aliás acho fantástico,mas nunca fiz nenhum comentário, acho que por falta de tempo.
Hoje adorei as coincidências... Meu primeiro filho também faz aniversário hoje. A segunda coincidência é que tb tive uma gravidez gemelar e sei como é... Nossa como eu quis ter um parto normal, mas tb não pude... hehehe.
Parabéns pra vc e pros teus 28 vezes!!!!!!!!!!!
Abraço.

Tati disse...

Que texto mais lindo!! Me emocionei de verdade!!
feliz aniversário pra eles! E parabéns pro papai e pra mamãe tb!!

Bjinhos

Ruby Fernandes disse...

Ana amei o texto lindo e sensível que você escreveu. Não sabia que você tinha gêmeos. Desejo tudo de bom para eles, muitas felicidades, muito amor e muito sucesso.
Bjokas querida.

SofiaMania disse...

Aninhas és uma mãe maravilhosa com uns filhos lindos!!!
Beijo gigantão!

ana sinhana disse...

Oi meninas!
Agradeço demais esses comentários tão lindos. Acho que é por isso que gosto tanto de dividir esses momentos por aqui!
Beijão em todas!!!
Ana

Van Dalberto disse...

me emocionei com seu post
sempre acompanho seu blog mas nunca conseguia comentar... hj dei jeito.

Parabéns! Mães e pais de gemeos são vitoriosos, viu? que legal ver uma história linda como a tua!

abraço
van
vantelie.wordpress.com

jeroselino disse...

Ô lindinha! Estou muito emocionado com teu texto... Me pegou de surpresa.
Construímos um linda família.
Te amo!

ana sinhana disse...

Te amo, Gu! E faria tudo de novo, mil vezes, pra ficar com vc e nossos filhos.

Priscila disse...

Ahhh os pais... Sempre fazendo alguma coisa que as crianças não gostam!!!! AHAHAHAHAHAH

Beijos em toda essa família linda!!!!

Dri Viaro disse...

Oi linda, boa tarde/


bjs

Kyria disse...

Meus parabéns para vocês todos, bjs.

Bruna maria disse...

Ana fiquei emocionada ao ler suas palavras de amor e carinho para com seus filhos,antes de mais nada parabéns para eles por terem pais tão amaorosos.Eu também tenho duas só que recebi meus presentes um de cada vez,e as vezes(a maioria)acho que to fazendo tudo errado, amo demais minhas filhotas (9 e 5)e sei que Deus é maior que todas as dificuldades que possamos enfrentar nessa ardua e doce missão de ser mãe.Xerão pro'cês

Laély disse...

Vou repetir o que quase todo mundo escreveu sobre esse post.
Suas palvras emocionaram tanto, porque descrevem de maneira particular, uma condição que é universal: a maternidade.
Tenho 3 filhos homens, que vieram em épocas não "ideais" na minha vida: o 1° chegou no início da faculdade, o 2°, logo depois da formatura, precisando entrar no mercado de trabalho e o 3°, quando já estava na maior correria e não poderia parar. O mais velho, agora já vai começar a faculdade e o do meio, tem 14 anos, como os seus. Realmente, depois dos filhos, o mundo fica relativo pra nós pais. Eu, que detesto heavy metal, mas gosto de Bob Dylan como você, aprendi até a tolerar, quando o mais velho coloca os rocks dele pra ouvir no carro( mas tenho o meu limite de tolerância auditiva!). Aprendi até a achar engraçado o Pókemon do caçula!
Parabéns pra você, também!
( Depois, quando tiver um tempinho, dá uma olhada onde deixei sua bolsinha pendurada, pra enfeitar minha casa)
Um abraço!

ana sinhana disse...

La e meninas, acho que racionalmente a hora nunca é a certa, né?
Simplesmente porque a cada filho, as coisas mudam, as necessidades, o modo de ver a vida. É sempre uma outra adaptação.
Eu também tenho 3. O Lo, meu caçula, veio 7 anos depois. E já chegou como se conhecesse o mundo, totalmente dono da situação. E hoje anda às voltas com "coisas difíceis que tenho que superar, mamãe", como aprender a escrever.
Cada um deles é de um jeito, mas o amor da gente é o mesmo, né?
Bjs

Tháta disse...

Oi Ana, que lindo seu post! Me emocionei, de verdade! Ainda não tenho filhos, mas quero muito! Estamos na expectativa rsrsrs!

Estou acompanhando seu blog há um tempinho já e adooooro! É um dos que mais me inspiram! Meu blog (Miss Senhorita) mudou de endereço! O conteúdo é o mesmo, só mudou o endereço mesmo! ^_^
Passa lá!
Muito obrigada!
Beijão!

http://miss-senhorita.blogspot.com/

Doris Sochaczewski disse...

Ana,
para tudo! vc tem filhos gemeos de 14 anos? hare baba, quase tive uma parada cardíaca ao ler 28!!! daí segui adiante e vi que era 14 de cada,mas mesmo assim....parabéns!
adorei as luzinhas que vc fez para a Mara, como é isso??? eu vendo muitas luzinhas na loja, quem sabe era esse o produto que faltava? se tiver manda uma foto? beijocas
Doris( das Coisas) meu e-mail de casa é doris1818@uol.com.br

Patricia Cardoso disse...

Nossa, que lindo isso, Ana! parabens pelo presente. Familia eh isso mesmo, ne? Bj P.

Flor de Tília disse...

Que belo texto, sábias palavras. Parabéns por tudo: blog, filhos, família e teu talento!
Bj,
Sabrina

Inusitados acessórios disse...

A Pat estava certa! Até deu vontade chorar...
Beijosssssss!
Bruna.