Páginas

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

2, 8, 18, 32...

Ontem foi um daqueles dias de vai-e-vem, em que faço o papel de motorista familiar. Entre compromissos e esperas, tive tempo de sobra pra ficar absorta em meus pensamentos, o que é raridade. Sou o tipo de pessoa que não dá conta de ficar parada. Até um tempo atrás, marido ficava me forçando a deitar na rede, ficar ouvindo o nada, limpando os pensamentos.

Não consigo, nunca consegui. Pra quem tem filhos pequenos, sabe aquela cena do Kung Fu Panda, em que o próprio, depois da batalha, deita ao lado do Mestre em silêncio? Pois é, sou o panda. Não consigo ficar deitada, nem contemplativa; já começo logo a planejar o que vou fazer depois ou a pensar em quanto tempo falta pra terminar o martírio e fazer um lanchinho.

Marido também tentou me fazer ouvir CDs de mantras antes de dormir. Mas aquilo me dava uma angústia, um aperto tamanho, que a vontade era de levantar e ir lavar o chão da cozinha.
Definitivamente, não nasci pra ser monja.

Meu avô usava um ditado para se autodefinir: "enquanto descansa, carrega pedra". Ele era marceneiro e nos momentos de folga construía galinheiros em casa, fazia móveis, brinquedos pros netos. Enfim, estendia o expediente como forma de lazer.
E é assim que eu sou. Só assisto TV com a mão trabalhando no crochê. Só consigo esperar lendo um livro ou usando computador.

E, ontem, não tinha livro por perto, mas levei o notebook, certa de conseguir ver o episódio do meu seriado favorito. Mas não consegui, porque sempre tinha que parar por algum motivo. Então, desisti. E aí, dá-lhe caraminholas numéricas na cabeça. Comecei a pensar em contas, contas e mais contas. Nas decisões que teremos que tomar nos próximos dias e que vão levar a contas ainda mais altas e em tudo o que tinha que fazer.
Resultado, quando finalmente fui dormir, estava um caco. Cansada e sem sono. E ouvi meu filho mais velho falando no corredor: "2, 8, 18, 32...".
Pensei imediatamente na solução tabajara pros meus problemas acabarem e chamei o meu grandão: "filho, são os números da mega sena pra gente jogar amanhã?". E ele: "Hã? Ah, nem mãe, são as camadas atômicas!".
Dãrrrr...

16 comentários:

Babado de menina, disse...

hahaha
e a gente vive numa correria né? hihihi
ah! adorei tua loja!
em breve te divulgou no meu blog! =)
beijão menina!;***

Nani Veiga disse...

Nossa me indentifiquei com esse texto,primeiro porque sempre sou eu a motorista familiar,segundo que o meu marido fica bobo de ver muitas vezes estou com notebook assistindo tv,costurando e alguma revista ou livro por perto,ele fica pensando se eu consigo desligar em algum momento,eu digo que é assim que eu descanso...Ele dá risada!!
Quanto aos mantras eu sinceramente não entendo...Não rola,se é para ficar mais calma coloco música clássica.
Beijos enormes!!
Nani

Fatima Guimaraes disse...

Hahahah...sem comentários...rsrsrs
Além de ver seus lindos trabalhinhos...passo aqui pra me divertir...rsrsr...adoooooro!!!!
Também não sei ficar parada...só vejo televisão com algum bordado ou costurinha na mão.
E acho que descanso ou me divirto mais com meus artesanatos, porque dirigir, cozinhar, limpar, arrumar, lavar roupas, passar roupas...isso sim cansa..rsrsrs
Bjus

Brinco de Princesa disse...

Somos um pouquinho diferentes, eu já sou mais pra turma da preguiça, mas, também vivo inventando o que o fazer, a Telma que é meu braço direito e cuida da minha filha enquanto eu vou pro trabalho é que diz: "lá vem ela inventando coisa pra fazer!", mas quando é pra desligar... hum... eu desligo mesmoooo e como é bom!

Fala mãe! disse...

Parece que quanto mais a gente faz, fica mais ligada pra fazer mais e mais,tb não me dou o direito de párar...Qto aos número,qdo vi de relance,achei que eram os numeros que o hurley ganhou na loteria,do seriado Lost,não sei se vc assiste.beijos

miscelânea disse...

Oi Ana,
Passo por aqui td dia prá começar dando boas risadas...gracias!!!

Fernanda de Oliveira disse...

E você perdeu a oportunidade de jogar os números??? Eu jogaria, nem que fosse no bicho... hahahaha

Beijooo ;)

Doces Abobrinhas da Roberta disse...

mulher de Deus, realmente quem é mae ja sabe... nossa estava parecendo uma dessas cenas malucas aqui de casa, rs!! que engraçada! não esquece de jogar;;;;; rs! beijinho e bom final de semana!

Doces Abobrinhas da Roberta disse...

;;;; ah, e, para garantir que eu não esqueça de voltar aqui toda semana, coloquei um link la nas abobrinhas tah! bj. roberta

Céres disse...

alegria, imaginação, humor, escrita com pitadas de Manoel de Barros = maravilhosos textos de Ana Sinhana!!! sempre especiais!! beijos

Pedaço de Amor disse...

Afff...eu não consigo parar nunca! Ás vezes até me pergunto se eu sou normal!

Nana disse...

hahahaha eu sou como você, meu marido manda eu ficar deitada e fico, mexendo para lá e para cá até sair em disparada para fugir da calmaria.
Bjsss

Mina disse...

adorei a comparação do kung fu panda, hahahaha, me identifiquei muito com o dito cujo também!!!!

Bom descanso amiga, amanhã é domingo!
beijos!!

Laély disse...

Ana, cada vez me convenço mais de que podemos ser irmãs gêmeas, separadas na maternidade.
Às vezes, até tento parar um pouquinho, mas quando penso no monte de coisas que me esperam, não consigo relaxar e acabo desistindo.
Abraço, irmã japa!( Ah! Eu também tenho olho meio puxadinho!...)

Ignez disse...

olá! adorei suas artes!!! são lindas!!! já estou namorando os pinguins, só esperando novidades..
tb vivo na correria, mas isso é ótimo para a mente criativa, pq estamos sempre antenados e recebendo inspirações!
parabéns pelo seu capricho!
bjinhos

Barbara disse...

kkkk ! Tô rolando de rir! Também não consigo ficar parada ... acho que comi um saco de pulgas quando era pequena! Ah... aproveita prá jogar os números das camadas atômicas na MegaSena... essas crianças tem cada uma!