Páginas

domingo, 22 de novembro de 2009

Primeiro vestido


Já disseram que o primeiro sutiã a gente não esquece. Mentira, nem me lembro do meu. Mas lembro dos vestidos lindos que a vó Amélia fazia pra mim. E isso sim é uma lembrança boa.

Lembro de um branco, com peito cheio de detalhes de sinhaninhas marrom, amarela e laranja, manga fofinha parecendo de princesa. Vestido mais lindo, mesmo com alguns detalhes que torturavam a mini virginiana já naquela época: a vó não ligava muito se o pano era branco e a linha de baixo era preta. Sentava na máquina e mandava ver. E o vestido aparecia, como mágica, pra festa de aniversário da amiga da neta no fim da tarde.

E foi com esse vestido branco que ganhei meu primeiro beijo. Esse sim, inesquecível. Especialmente para o menino, que veio de sopetão e encostou a boca na minha. Levou um tapa na cara tão, mas tão estalado, que cantou parabéns na festa com um vergão vermelho no rosto, com a marca dos cinco dedos desta mão que agora digita.

Uma pena que as crianças cresçam e, no afã de virar adulto logo, a gente esqueça de guardar os vestidos no baú (porque os sutiãs vão todos pro lixo!). Só tenho um, cor de laranja, que minha mãe guardou e eu pude usar na minha filha.

Vão se as roupas, mas fica a sensação mágica da vó fazendo o vestido, assim como minha mãe talvez tenha sentido com vó Sinhana dela. Acho que essa magia me manteve longe da máquina por muito tempo, mas hoje vejo que não tinha jeito e assumo: adoro costurar.
Mas nunca tinha me aventurado pelo mundo das vestimentas, até ontem. Tomei aquela decisão que venho ruminando há meses: sentar e fazer um vestido.
Para isso, comprei livros, consultei oráculos e pedi ajuda aos universitários ou, no caso, a melhor costureira viva que conheço: minha mãe.

E ontem passamos a tarde colocando o projeto no papel, depois no pano. Minha mãe com aquela vontade louca de assumir o comando no melhor estilo deixa-que-eu-faço-sozinha (conheço alguém que é exatamente assim, mas não lembro quem exatamente...). Foi um processo meio frankestein: tirei a idéia da cava nadadora das costas de uma saída de banho; o corpo, mais ou menos adaptado da idéia do livro da foto (o Weekend Sewing da Heather Ross, totalmente recomendado pra quem quer se aventurar nas primeiras costuras). Minha mãe inventou o molde, eu cortei e costurei. E, de quebra, ainda aprendi com a mestra como fazer um viés perfeito. Como o modelo é soltido, foram poucos os ajustes, todos feitos no corpo.

Fiz um único detalhe, que foi o pesponto em linha verde, feito com ponto zigzag, que eu adoro e acho que combina com modelinhos assim, simples e meio brejeiros.
O vestido saiu, me deixou toda orgulhosa apesar da simplicidade. E nesse domingão de calor, já está arrematado e em uso. E eu, pronta para o próximo projeto: uma calça de pijama pro marido que, na verdade, deveria ter sido meu primeiro projeto, pois foi a idéia de presente de dia dos namorados que me motivou a comprar o livro.
Então, que venham calças, saias e outros vestidos.
Obrigada, vó, obrigada mãe.

24 comentários:

Adri disse...

mas que mimoso!

Fala Mãe! disse...

Ana querida! Ficou um arraso! Charmoso e orinigal, amei! beijos

Elisa disse...

ficou lindo! muito fofo! XD

Tiana Ayres disse...

Adorei!!!

ana sinhana disse...

Obrigada, meninas!

Fernanda de Oliveira disse...

Oi Ana, não sei se já te disse, mas amo seus textos! São lindos e profundos e sempre que os leio viajo para outro mundo, para o passado, para meu próprio passado.

Eu me lembro sim do meu primeiro sutiã, mas me lembro muito mais da minha avó, que também era costureira e que também fazia coisas lindas pra mim... aaahhh, que saudade senti dela agora. Detalhe, meu primeiro sutiã foi essa minha querida avó que me deu.

Sempre tenho a sensação que vc está na profissão errada rsrs, acho de verdade que vc deveria ser escritora... já pensou nisso?

Aahh, e pra não dizer que não comentei, seu vestido ficou liiiiindo!

Beijinho =)

Mais leve disse...

Oi ANA!

Adorei o vestido, soltinho. òtimo para dias quentes.

Bj
Karina
www.blig.com.br/maisleve

Super Chocolate disse...

Ana, sofro com uma eterna dúvida... investir meu tempinho dedicado à costura aos crafts ou as roupas???? Adoro os dois!!!! O Weekend Sewing é um sonho de bom.... e tem outro ainda mais bacana (só de roupas), o Chic & Simple Sewing da Chris Haynes. Todas as peças não tem zíper, nem botões. A edição é separada pelas estações: vestidos para o verão, capa para o inverno, trench coat para a primavera e por aí vai. Todos os moldes (por volta de 40) vem em tamanho natural. Tudo o que eu fiz até agora deu certo.

Coincidência: fiz a calça de pijama do Weekend Sewing para o meu marido. Usei uma flanela xadrez. Dei de dia dos pais. Ele amou! O molde é 10!!
Recomendo!

Viviane Basile

Marta Diniz disse...

Oi Ana!!!

Ficou bacana,hein?! Parabéns!!!
Estou meio fora dos blogs por falta de tempo, mas o teu sempre tiro um tempinho pra uma espiada. Como já disse, adoro o jeito que vc escreve.
Beijo.

Sheila Franco disse...

Adorei!!!Tb quero aprender a costurar,mais vou ter que esperar os gêmeos crescerem um pouquinho,vc sabe como é!!!

Bjs

ana sinhana disse...

Oi Sheila! Eu sei sim! mas logo passa, então, aproveite!

Oi Marta! Muito trabalho, né? Fim de ano é correria!

Oi Viviane! Que coincidência! Eu estava olhando livros de costura e fiquei em dúvida entre o que vc falou e um outro! Valeu!

Oi Karina, obrigada!

Oi Fernanda! Adoro escrever, mas acho que não mudarei mais de profissão. Uma mudança já foi o bastante!
Bjs, Ana

Pepa disse...

Oi Ana, nem "criditei' quando vi seu comentário no meu blog, vc nem sabe o quanto fiquei feliz.
Além de tudo, vc é muito fofa e delicada.
Bjus

rosana sperotto disse...

Oi, Ana, sempre me encanta confirmar essa mágica: as experiências da infância que ficam nas gavetinhas e num belo dia se libertam, ganham forma, algumas vezes dão o norte para nossos talentos e às vezes à vida. Será que o vestidinho não é esboço de novas frentes que vêm por aí? Beijo

Patricia Cardoso disse...

Ana, ja fiz alguns vestidos, um assustador, outro cafona, outro perigoso, um delicado e u mmais ou menos.. acho q nao saio de casa com nenhum deles HAAHHAAH! Ja fiz tbm duas saias, uma otima, pena q deixei a cintura maior q a minha, rs! qq hora posto foto pra vc ver..

o seu ta fofinho, parabens! faça mais, sempre! bjs Pat

Marina Mott disse...

Olá! Primeira visita e adorei!! Que inveja...peguei a máquina de costura da minha mãe emprestada porque queria fazer algo muito simples: uns saquinhos... ainda nem comecei por uma simples razão: eu juro que não sei colocar a linha (nem minha mãe)...Então vou ter que visitar e babar com a habilidade alheia!!
Muito legal o blog e o vestido!! Vou seguir!

Ester disse...

OI Ana!!!
lindo o vestido e linda a modelo!!
E aí, vai fazer pra vender pra nós tbém?
Amei o texto, principalmente a parte do primeiro beijo. Lembro do meu primeiro sutiã, era de renda rosa, meus irmãos, que eram mais velhos tiraram sarro de mim um mês, quase morri de vergonha!
Beijo

ana sinhana disse...

Oi Ester! Irmão mais velho pega no pé, né?

Oi Marina, obrigada!

Oi Pat! Duvido que ficaram assim... deve ser exagero seu, vc costura tão bem!

Oi Rosana! nada, só pra consumo próprio mesmo!

Oi Pepa, obrigada pelo carinho!
Bjs e boa semana a todas!

Cris S.S. disse...

Lindo, lindo, lindo!
Já estou imaginanso vestidinhos naquelas estampas lindas das bolsas q vc faz....
beijão

Fatima Guimaraes disse...

Ai que delicia de vestido!!!!
Ana eu primeiro aprendi a fazer roupa e depois me aventurei no mundo de coisinhas pras crianças.
Aprendi a costurar por necessidade, minha filha mais velha perdia roupa demais e eu não dava conta de comprar tantas..rsrsrsr..
Mas amo costurar e me vi na máquina terminando alguma blusa ou saia enquanto minha filha só de calcinha maquiada e toda arrumada esperava do lado eu terminar a peça pra ela ir pra festa...quanta saudade deste tempo!!!!
Hoje a cabritinha está casada e mora longe e eu to sem tempo de costurar as roupas da caçula, ela me cobra mas tenho as encomendas,...rsrsr
Adorei o vestido e que venham muitos.
Bjus

Coisinhasdalili disse...

Nossa, Ana. QUe vestido mais fresquinho. Adorei! Aliás, que tal uma barrinha com aqueles carimbos que só vc sabe usar?...

Laély disse...

Ana, lendo sobre sua vó, lembrei da minha mãe, que também, de uma sentada em frente à máquina, no domingo de "folga", fazia sempre uma roupinha nova pra mim. Engraçado, é que ela migrou das roupas para as bolsas, de onde tira um reforço para o orçamento, com as peças que vende entre as amigas.
Por enquanto, fico por aqui só guanhando coragem. Acho que o projeto de aprender a costurar ficará para a aposentadoria.
Parabéns pela coragem!

Paty disse...

Nem preciso comentar que eu sabia que vc conseguiria, né? Ficou fofo demais!
Bjo, bjo!

Amanda disse...

adorei o vestido! alias, nessas ferias de fim de ano eu vou fazer um curso de corte e custura...eu não sei costurar nda, na verdade aprendi ha umas duas semanas a fazer fuxico...e eu quero aprender a costurar pra fazer meus proprios vestidos...pq eu adoro vestidos...e sobre o livro q vc disse que era otimo pra iniciantes... é em ingles e eu não leio em ingles...vc poderia indicar um outro?
OBS: conheci seu blog a dois dias e já estou te admirando! parabens pelo seu trabalho!

Amehlia Digital ! ® disse...

Aninha!
Que linda história...:)
Sou toda nostálgica e amo ler coisinhas de vida assim...
Me senti homenageada por sua vozinha chamar Amélia...posso imaginar tamanha dedicação e cuidados...coisas q com certeza vc herdou...;)
Agora preciso comentar...sutiã laranja?!! :D...essa ficaria na memória de qqer menina-moça..rs
(minha cozinha tem tons de laranja, sei bem o q falo...:)
Um bejim procê!!
Vinni