Páginas

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

"Lava roupa todo dia, que agonia..."


Casa sem empregada, trabalho dobrado, coluna dolorida e pés cansados. Mas como dizia uma antiga amiga, sabiamente versada nos trancos da vida, todo aprendizado chega por trás, sem avisar e... bem, não vou completar a citação ipsis litteris para não ferir ouvidos/olhos mais suscetíveis. Em outras palavras, depois que a gente leva pancada uma vez, ficamos espertos. Ou, gato escaldado teme a água fria!
Em meio aos caos doméstico, chamei uma estagiária durante a licença maternidade da oficial (que, ao que tudo indica, vai se estender numa licença eternidade) e o nervoso, a raiva, a peste e a irritação se infiltraram na minha existência de forma sorrateira.
Vou poupar vocês dos detalhes sórdidos da passagem da pessoa por aqui. Melhor ficar com a parte anedotesca e divertida (porque todo o resto foi grotesco e cheio de sujeira no sentido literal e no figurado também, infelizmente).
Depois de três faxinas, a senhora que contratei já estava se sentindo em casa, sem perguntar onde guardar ou qual produto usar pra que. E, no fim do terceiro e fatídico dia, todo mundo que passava pelo banheiro estranhava a sensação de exagerado frescor nos fundilhos, a cada descarga. E eis que marido grita, do outro banheiro: "cadê o Listerine?".
Todos caímos na risada! Meio vidro (dos grandes) de enxaguante bucal tinha ido vaso abaixo...
A dificuldade de ter uma pessoa estranha na rotina é fato notório em qualquer casa ou família. E até mesmo a oficial cometeu gafes enormes nos primeiros tempos (lembro das vésperas do meu aniversário, quando ela resolveu limpar a geladeira e veio toda orgulhosa me contar que tinha jogado todos "aqueles queijos podres e fedorentos" no lixo).
E da história (verídica?!) da amiga de uma amiga minha, que tinha o hábito de comprar lingeries carésimas. Num daqueles dias de TPM, a moça resolveu fazer um inventário na gaveta das "carcinhas" e sentiu falta de algum conjuntinho exótico. E como naqueles dias terríveis do mês o bicho pega e mocinha vira onça, lá foi ela colocar a serviçal contra a parede, que confessou que pegava emprestado algumas peças pra brincar com o namorado, mas devolvia tudo pra gaveta da patroa bem limpinho.
A coleção de histórias engraçadas sobre ter outra mulher nos nossos domínios é imensa e tenho certeza de que todos temos alguma passagem engraçada, trágica e memorável pra contar.
Mas, por agora, decidi dar um tempo, ficar sozinha e me entender com as vassouras, o tanque, a pia e a tábua de passar roupa. Por sorte, aprendi a ser uma moça prendada nas artes domésticas. E, sem dúvida, a primeira lição é saber que toda lady que se preze, deve cuidar das próprias calcinhas.
;)

*ah, a imagem fofa da menininha brincando de passar roupa é do See and Sew, a sewing book for children, livro cheio de gravuras bonitinhas para ensinar crianças a costurar (tem também o Look and Cook, a cookbook for children, que espero ansiosa). O primeiro vale a pena!

24 comentários:

Fatima Guimaraes disse...

Amiga...
Como é bom ser uma garota prendada.
Massssssssss...é muito dificil encontrar meninas assim, que "enxergam" as sujeiras mesmo antes delas aparecerem..rsrsrs...tenho inumeras estórias de "ajudantes domesticas", cada uma mais cabeluda que a outra.
O lado bom de tudo isso, é que quando a gente resolve e se compromete a cuidar nós mesmos das nossas casinhas, parece que tudo anda bem...tudo tem o seu lugar certo, e a casa fica mesmo com a nossa cara.
Pena que com tanto trabalhinhos lindos esperando na máquina de costura, isso nem sempre é possível..
Boa sorte ai com suas vassouradas...hehehe
Bjokas

Silvia disse...

Hahaha, adorei a estória, já passaram muitas por aqui também, meu marido sempre fala que não existe empregada perfeita e... como eu não tolero serviço mal feito...é melhor ficar sem!Eu cá comigo, acho que se estou pagando o serviço tem que ser muuuuito bem feito.
Estou a mais de ano sem ninguém, não é nada fácil, ainda mais com construção, tem semanas que fica tudo atrasado, tem semanas que fica tudo em ordem e assim vou levando. Daqui a pouco as crianças estarão maiores e mais independentes e eu com tempo mais livre!
Mas... enxaguatório bucal no vaso eu nunca vi, hahahaha
Bjs

Paty disse...

Ai amiga, é duro admitir que não gosto de pessoas estranhas limpando minha casa, isso é nóia minha né?Ainda mais mexendo nas carçolas, hahahaha
Bjo!

Mirella Luiggi disse...

Ana,
Sabe que um dos motivos de eu não querer ter ninguem em casa era esse: o de ter um estranho no meu lar. O outro e confesso que mais forte de todos foi colocar na ponta do lápis e descobrir que o que a gente deixaria de pagar aqui em casa por uma diarista semanal, nos renderia umas férias bacanas 1 vez por ano! é verdade! Coloca no papel que você vai ver no ano o tamanho da economia! :)
E ó, a cada dia que passa a industria lança produtinhos mais bacanas para quem limpa a casa sozinha, eu mesma sou viciada em um tal de easy off bang e nos lenços umedecidos próprios para limpeza (é mais caro que a media dos produtos de limpeza,mas já que sou eu que limpo me dou a esse luxo e a faxina fica bem mais tranquila! :)
beijocas

Deusa disse...

kkkkkkkkkk....quase morro de rir....cada uma....parece mesmo piada,nem posso imaginar o preju dos queijos...kkkkkkk...
Não tem mesmo jeito,as vezes da vontade de cuidar de tudo sozinha mesmo...e uma econômia enorme...de tudo,inclusive de paciência e dinheiro,mas Ana...isso cobra um preço altissimo...o nosso tempo,paciência e saúde,porque Deus me livre...parece que o serviço nuuuunca acaba...socorro.
Beijinhos
Deusa
vasinhos coloridos

Ângela Goldstein disse...

Gente! Morri com a história da empregada que pegava a lingerie emprestada!!! Como assim uma coisa dessas?

bom, esse é o primeiro post que eu leio e com certeza voltarei mais vezes, pois achei muito divertido! =)

Susi disse...

Tava precisando rir um pouco,me lembrei de um episódio: mostrei a casa e expliquei o serviço que deveria ser feito e então,a candidata ao posto aceita, mas me faz um alerta: "Olha, só que eu vou dizer uma coisa pra senhora, no café da manhã eu gosto de comer queijo". Ana, desse mal eu to livre desde que atravessei o Atlantico,aqui ter uma ajudante é artigo de luxo,mas me adaptei bem e hoje nao gosto nem de lembrar do passado quando pagava para viver stressada.

Milena disse...

Ana,já que começou com o ditado de uma amiga,digo:antes só do que mal acompanhado!!!
É difícil achar uma profissional competente,porque as empregadas domésticas só se consideram profissionais no quesito salário e carteira assinada.
Na hora se saberem fazer algo,fica longe o "ser profissional".
Ainda é uma área de areia movediça,

bjs

Rosana Francisco disse...

gente levando as calcinhas pra casa EMPRESTADO???????....aiaiaiaia que ódiooo menina.....hilaria suas historias viu, estas secretarias de hoje sao mole não viu...olha minha amiga tem uma que é piada...diarista, ela la fazendo o trabalhinho dela, mas deu o horario da novelinha da tarde dela ela liga a tv, senta e assiste na boa, so continua o trabalho depois que termina pode???, uma que tem na minha mae entao é demais....ela chega e fala assim pra minha mae tadinha.... o que vai ter hoje de almoço????? (sindrome de patroa a infeliz tem eu achorsrrs) e mais..ela fala assim pra minha mae,ei psiu(ela é folgada mesmo)precisa limpar o coco do cachorro eu não faço isso nem morta...kkkkkkkkkk, não pode uma coisa dessa?? mas a empregada é da minha irma eu nao me meto viu...por mim ela ia pra rua HOJE..kkkkkkk, bjossss lindo dia pra vc amiga!!!!

Luciana Betenson disse...

Hahahahahaha! Fiquei assim 'lavando roupa todo dia' durante três meses, também com duas tentativas frustradas de ajudantes que não deram certo. Uma não soube fazer um purê de mandioquinha, nem frango assado, e no fim eu estava cozinhando pra ela :-) A outra 'limpou os armários' (literal e figurativamente). No fim, a de anos que tinha ido embora voltou - a glória :-) Ah! Minha mãe também me ensinou que uma 'lady' cuida das suas próprias roupas de baixo. Bjs!

Andrea Jardim disse...

A gente tem que aguentar cada uma!
no mundo ideal cada um da família faria sua parte e não precisariamos de ninguém fuçando nossas gavetas de calcinhas!

linkei seu blog!
http://www.fabulosomundocraft.blogspot.com/

Livia disse...

SUPER me identifiquei. Como você disse, todo mundo tem histórias! Eu poderia contar umas 10...
Beijos....

trecos e apetrechos da Fran disse...

hahaha tem cada uma, hein!
Mas essa do Listerine no vaso ganhou kkkkkkkkkk
Mas sabe que eu também gosto de fazer os serviços de casa, desde que tenha tempo para isso.
BJS

fátima disse...

hahaha... ótimas histórias!
ruim sem elas, ruim com elas, mas eu não vivo sem e assumo! já tô velha p/ ser amélia, cansei.
espero que a sua volte loguinho!

bj

Taia Assunção disse...

Já aconteceu algo horrível comigo, peguei a babá amamentando (com teta seca) minha menina mais velha com poucos meses de vida. A vontade foi quebrá-la em mil pedaços. Depois disso passei a por duas, pelo menos na teoria uma cuidaria da outra. Deu certo, fiquei alguns anos assim e não acorreu grandes imprevistos. Prefiro ficar sozinha, mas não ter tempo para desenvolver nossos próprios projetos porque temos que cuidar da casa é muito chato. Fiquei mais de sete anos sem empregada. Beijocas!

Fernanda Reali disse...

Ana, fiquei anos sem empregada e prefiro não tê-las, mas com apto grande, duas crianças e duas cachorras, é impossível não contar com ajuda extra.

Tenho uma empregada há 8 anos que é ótima pessoa, mas não é perfeita, como todos nós.

Em janeiro, quando ela saiu de férias, arrumei uma faxineira para o serviço externo, varanda, terraço e coisas assim. Paguei uma diária de 130 reais para a mulher mudar a sujeira de lugar, não limpar nada direito, reclamar nos meus ouvidos o dia inteiro e se queixar de tudo e de todos, como aquela hiena do desenho animado. Nunca mais!

Resolvi relaxar e fazer só o que fosse possível. Até fiz um post sobre isso, leia lá A Casa e o Caos.

Me organizei fazendo comida em quantidade dobrada para congelar, levando as roupas mais difíceis para a lavanderia e passamos o restante do mês muito bem.

Bjs

Laély disse...

Tem que rir, pra não chorar( de raiva!), né?
Pode ser uma ideia burguesa mas, não sei o que é pior:
"Ruim com elas, pior sem elas!"
No momento, não posso me queixar: Tinha uma maravilhosa no serviço, mas faltava e me deixava na mão sem avisar!
Há mais de ano estou com outra, não tão ágil e "esperta" mas, de confiança: uma tranquilidade!
Boa sorte, aí!

Laély disse...

Ah! A menininha é muito fofa e prendada, tanto quanto você!

Camila Rech disse...

HUAHUAUHAHUAHUA
muito bom esse teu blog guria!
Adorei!

toda lady que se preze deve cuidar das próprias calcinhas, GENIAL!


Amei teu blog, e vou seguir para acompanhar as novidades.

Beijão

Vibrante Colorbar

Déia disse...

Oi Ana, td bem?!
Conheci seu blog há uns 3 dias, e estou totalmente apaixonada com a forma que escreve, que apresenta as suas histórias, que abre seu coração, a arte linda resultado de um talento incrível que tem..e das receitinhas que apresenta tb!
Estou encantada com tudo...E vc me anda inspirando muito :)
bjs e adorei esse seu cantinho tão especial!

Micheline matos disse...

aqui em casa faz tres meses que assumi tudo.É realmente uma loucura e tem dias que penso que vou enlouquecer.Não sinto falta da faxineira também, pois a gota dágua para desistir dela foi entupir a privada com um pano de chão...Ai não não sou uma eximia dona de casa, mas tenho tentado.Tem dias que consigo, boa sorte ai Ana!

Carla Machado disse...

Muito bom, isso acontece mesmo, uma empregada da minha vizinha ariou um panela de teflon novinha até ela ficar brilhante! Eu como não posso ter uma em casa, me viro bem entre crianças e casa.
Visite meu blog: www.moprendada.blogspot.com

Ana Luisa disse...

Aqui em NY estou sozinha também e o ap é bem maior, mas apesar das dores nas costas, etc... estou adorando.
O stress com secretárias, as vezes é tão grande que não vale a pena.
Acredita que já passei pela situação da lingerie também, só que a minha não estava tão limpinha.


Beijinhos
Ana

Cris Chiosini disse...

Ah, Ana...
Eu sonho com o dia em que poderei trabalhar em casa e, no mínimo, vou poder acompanhar bem de perto o trabalho da minha ajudante.
Porque por mais que ela faça tudo 'direitinho', ninguém deixa nossa casa tão limpinha quanto a gente, né ?
Beijos.