Páginas

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

WP #12: guardanapo com monograma


Há muito tempo atrás, lá na minha tenra infância, me acostumei a ver meu pai usando lenços de tecido. Naquela época, lenços descartáveis de bolso não existiam e, se existissem, seriam caros. Então, vi muitas vezes meus pais comprarem caixas e caixas com jogos de quatro lenços de algodão, em geral de cores claras e com algum padrão simples na borda ou monograma bordado. Para as crianças melequentas, minha mãe carregava fraldas de tecidos. E eram varais cheios desses panos, quarados e passados com esmero pela mãe sofredora.
Hoje em dia, por mais que eu ame tecidos, acho que não me renderia aos lenços reutilizáveis; tenho em casa uma população masculina alérgica, cheia de todos os "ites" possíveis e, só de pensar em lavar e passar lenços, a dona de casa desesperada que hoje habita meu ser grita de pavor.
Mas confesso que tenho saudades de outro item de tecido: os guardanapos de pano. Outro dia, uma amiga comentou comigo depois do meu almoço de aniversário que achou super bacana a gente ter servido tudo com a nossa bela porcelana chinesa (isso lá é chique, hoje em dia?). De fato, acho que faz toda a diferença e valoriza a comida e, apesar da praticidade dos descartáveis (especialmente nas festinhas infantis), ainda prefiro os pratos e talheres de verdade nas festas com poucas crianças, por mais simples que sejam.
E aí me peguei pensando que deveria usar mais guardanapos de tecidos, ainda que me venha de cara a minha própria imagem mordendo os lábios diante do conviva limpando a boca cheia de molho no meu guardanapo cheiroso, passado e engomado.
Coisa de mulher doida, deletem!
Prefiro ficar com a cena em que os guardanapos de pano aparecem cheios de bossa, compondo uma bela mesa. E é essa imagem que me fez fazer esse joguinho, que dei de presente, de cinco guardanapos com uma versão rápida, porém charmosa, dos monogramas da família: para os progenitores, estampei as iniciais em caixa alta; para os filhos, usei minúsculas. E, só para diferenciar, usei um tecido de bolinhas para a ala feminina da família (nada a ver com o fato do tecido xadrez ter acabado, nada mesmo...). O mais demorado nesse projeto é fazer a barra dos guardanapos. Fiz o canto mitrado (ou em ângulo), que acho mais caprichado. Mas vale só dobrar e fazer a barra mesmo. Para as iniciais, usei carimbos de letrinhas, fáceis de encontrar.
Um detalhe interessante: a inicial de um dos filhos saiu com a cor totalmente diferente dos outros, apesar de ter sido usada a mesma tinta. Isso só confirma o que minha mãe sempre me disse: "se até os dedos da sua mão saíram cada um de um jeito, porque você acha que seus filhos deveriam ser todos iguais"?
Boa semana!

9 comentários:

Taia Assunção disse...

Adorei o capricho Ana, tenho alguns em casa reservado para jantares menores. Tem horas que dá uma saudade da minha máquina...snif. Engraçado a tinta sair com tonalidade diferente...Beijocas e boa semana.

Mina disse...

oi Ana, tenho parentes no Japão que sempre me mandam de lembrança Lenços, muito bonitos com rendas, tecidos macios, é realmente um capricho!
Vou aderir à sua idéia, tem tanto tecido bonito para fazer guardanapos e até ficaria bacana dar de presentinhos, não?
Beijos e boa semana!!!

Ângela Goldstein disse...

Ana, que lindo!

Nos almoços de sábado na casa da minha avó, cada um sabe onde sentar-se pois todos têm um porta guardanapo (de pano) com o nome gravado. Acho isso tão legal!

Preciso admitir que eu sou uma grande fan dos lencinhos de tecido, acho bem melhores do que os de papel. Tenho vários deles aqui em casa!

Beijo!

Déia disse...

Ana querida, que delícia de post :)
E que mimo para a família esses lenços..Sua mesa com certeza ficará ainda amsi charmosa!
Mas o melhor de tudo foi a frase da sua mãe sobre um filho ser diferente do outro...Minha vózinha também tem essa teoria e diz com quase as mesmas palavras!
Adoro a sabedoria delas!
bjoka grande e ótima semaninha!

Ana Degenaar disse...

Adorable!

Nata Fernandes disse...

Ficaram lindos os guardanapos, Ana!
E de quebra você acaba ajudando o meio ambiente, né! :)

Beijo!

Susi disse...

Ana, lindos, como tudo que vc faz. Acho os guardanapos de papel bem prático, mas sem dúvida alguma os de tecidos fazem toda a diferença.

Laély disse...

São meus, são meus!
Interessante é que o diferente foi justamente para o caçula, o mais fora do padrão!(rs)
Ainda não inaugurei a toalha e os guardanapos com a família mas, concordo com você: apesar da praticidade, às vezes pecamos por abusar dos descartáveis, em detrimento do capricho que é, usar as melhores louças, mesmo que não sejam porcelana chinesa.
Muito obrigada pelo capricho!
Abraço!

Lina Gatolina disse...

Sim,guardanapos de pano, quase todo dia, por questões ecológicas!!!!
Mas lenço realmente não dá. Esses virus precisam ir direto pro lixo e nem entrar na máquina de lavar...
bjs
denise