Páginas

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Cilada

foto tirada pela filha que mais adora ver a mamãe pagando mico

Tem determinadas situações que, antes mesmo de concretizadas, fazem seu sexto sentido apitar, acender luzinhas multicoloridas enquanto soa uma voz dizendo: é cilada, Bino!
Mas a pessoa é teimosa e não dá ouvidos a vozes do além. No caso, o além fica logo ali do lado esquerdo da cama e chama marido. Sim, ele disse e repetiu que era furada e vai me atormentar além da vida.
Enfim, passei por uma situação mico no último final-de-semana. Nem vale a pena comentar muito, até porque não fui a única a entrar na roubada.
Mas o fato peculiar é que até bem pouco tempo atrás, eu teria esbravejado, xingado a mãe e todas as gerações passadas dos (ir)responsáveis pelo mico e soltado os cachorros no primeiro desavisado que aparecesse na frente. Mas não fiz isso. E me diverti com a situação, até onde pude. Depois, catei meus trecos e me mandei.
Não sei se minha suscetibilidade ciladística mudou, ou se as ciladas tem diminuído ao longo dos anos. Só sei que, curiosamente, não me deixei abater do mesmo modo.
A reação ao estilo rir da própria desgraça é o melhor remédio se deve, em muito, ao fato de que arrastei uma amiga muito bem humorada junto. E rimos. E brincamos. E rimos de novo.
Então, que fique aqui registrado: amiga querida, se algum dia você precisar de companhia para extrair uma verruga, fazer dança de salão ou pegar um trem lotado seis da tarde pra zona leste, pode contar comigo. i'll be there for you/cause you're there for me too...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Weekend Project #2


Oi! Vocês ainda se lembram de mim?
Nem vou tentar me desculpar mas, se vocês vissem a situação da bancada e do ateliê todo, entenderiam o meu sumiço. Serão dois bazares nos próximos finais de semana (aliás, campineiros, um deles será amanhã, em Barão Geraldo, na Zap, simpática escola de artes na avenida 1, mais ou menos na altura da Padaria Alemã). E, depois, dia dos namorados (haja tecidinho de coração!).
Mas, olhando a foto do bebê fofo, tenho certeza de que mesmo um coração de granito vai perdoar a minha ausência!
Chantagista, eu? Neeem!
Mas olhem se não tenho razão: Esse projeto não é exatamente para um final de semana. Talvez, um final de semana prolongado.
Na verdade, o da foto foi feito na Páscoa. Sinceramente, achei que não daria tempo. Quando o pessoal da Revista Crescer me mandou a proposta, não consegui manter a megalômana que teima em viver em mim quietinha. Tentei bravamente e até cheguei a dizer que não poderia assumir o compromisso, mas o apelo de fazer algo para bebês foi mais forte.
A ideia era chamar blogueiras para um editorial de moda tricô para bebês, com receitas que as mamães pudessem reproduzir. E logo pensei em algo bem quentinho e aconchegante, por isso saiu esse saquinho de dormir.
O modo de fazer é simples: um quadrado maior para o corpo, depois um menor (com metade dos pontos) para o capuz, tricotados em ponto meia, intercalando as cores para formar as listras (usei cerca de 2 novelos de lã média, um de cada cor). A receita explicadinha está na site da Crescer. As cores foram escolhidas pelo pessoal da revista, mas fiquei pensando numa versão menininha moderna, em cinza e rosinha claro (se alguma mamãe fizer, me mostra?). O tamanho é para uma bebezão entre 6 e 8 meses, como o fofucho da foto.
Então, sumiço perdoado?

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Bizarre love triangle

Desde que terminei esses gatinhos antes do almoço, não consegui mais parar de pensar em bizarre love triangle, que ouvi até a exaustão nos idos anos oitenta. E quem foi adolescente naquela década perdida deve compartilhar comigo o gosto pelo New Order (e The Cure, Smiths... e por aí vai).
Não sei se é por causa do dia dos namorados chegando, mas os gatinhos saíram todos bem romantiquinhos, nas variadas versões de coração que encontrei no meu armarinho amarelo. Ficou um verdadeiro triângulo amoroso mesmo.
E os três já estão lá na loja, cheios de amor pra dar!
Agora, vou ali ficar hipnotizada na frente da lareira pra ver se esquento minhas mãos geladas. Deixo vocês com uma versão da música que eu não conhecia:
Every time I see you falling
I get down on my knees and pray
I'm waiting for the final moment
You say the words that I can't say

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Casa florida

Talvez a maior das vantagens de morar numa casinha seja o quintal, a varanda,o lado de fora. Uma amiga me conta que o marido dela, que é das pessoas mais inquietas que conheço, quase pira quando está em casa e abre a porta do apê. E diz que precisa do abrir a porta e ter aonde ir. Sei não, mas acho que concordo com meu amigo: só um corredor, portas, escada e elevadores tem algo de claustrofóbico depois de morar tanto tempo numa casa.
A nossa pequena morada tem verde por todos os lados (na hora de pagar o jardineiro, ou de recolher as folhas e galhos, até mais do que eu gostaria). E tem sido um ritual gostoso regar logo cedo as pequenas mudinhas de flores recém-plantadas. Deu um certo trampo, mas foi uma boa economia. Eu mesma comprei as caixinhas de flores e terra adubada no Ceasa, e plantei tudo no sábado.

Aproveitei pra florir o lado de dentro também:

Esses pequenos vasinhos com mini-rosas foram presente da comadre, que os trouxe de bem longe. Um presente precioso, que já veio cheio de carinho e vai sempre receber as flores do quintal. Amei! Enfim, nem tudo na vida são flores. Mas, de vez em quando, é muito bom voltarmos nossos olhos apenas para elas.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Weekend Project #1

Que trabalhar com aquilo que a gente mais gosta é prazeroso, todo mundo sabe. Mas o que as pessoas não sabem é que, por trás das cortinas, os bastidores guardam uma certa bagunça e um limite nada claro entre a vida pessoal e profissional (ainda mais no meu caso, que tenho ateliê no quintal de casa).
Enfim, não são raras as vezes em que roubo tempo da vidinha cotidiana e uso no trabalho, quase sem perceber. E depois me culpo, me aplico algumas chibatadas e tento recuperar o tempo perdido fazendo algo pra família (em geral com alguma invenção culinária de fim de semana).
Por outro lado, trabalhar em casa implica tornar o lar uma espécie de vitrine, já que é aqui que testo minhas ideias mirabolantes. Adoro isso, mesmo que, não raro, algum amigo acabe levando as novidades embora em eventuais visitas!
Então, um pouco pra minimizar a minha culpa, um pouco pra fugir do estigma "casa de ferreiro, espeto de pau", pensei em criar uma coisinha nova pro cafofo a cada final de semana. Pequenos projetinhos, sem grandes obrigações. Meu único compromisso será compartilhar aqui a pequena obra todo comecinho de semana.
Pra começar, taí a cesta que encontrei no Mercado das Flores do Ceasa daqui da cidade, que vai guardar com charme o pão de forma da galera na cozinha. Meu mini-projeto foi fazer um forro de tecido de frutinhas. Apliquei nele estampinhas de maçãs e... voilá:
Aproveitei para terminar os jogos americanos, há muito começados e guardados no "arquivo morto"...
O café de todo dia ficou mais bonitinho e a cozinha mais alegre.
E, de quebra, tem ainda duas duplas de jogo americano disponíveis lá na minha vendinha da Tanlup.

Aliás, vale a pena conferir, pois o site novo está uma belezinha e com promoções e sorteios no blog por toda essa semana!
E vocês? Tem algum projeto bacana pro findi?
Contaí!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Curtinhas aleatórias

*Aqui onde moro, o carteiro não vem até a minha porta (exceto o sedex 10), então eu tenho que ir até a caixa de correio do condomínio. E eis que recebo o aviso, na caixinha, de uma encomenda. Chego no guichê e a mocinha me avisa "ooops, são duas... multas!". Uma pra mim, uma pro marido, no mesmo lugar e uma no dia seguinte da outra. Alguns palavrões mentais depois, pensei o seguinte: devo, não nego, pago na data do vencimento. E também pensei que todo e qualquer indivíduo que trabalhe no departamento de trânsito agora ocupa o mesmo lugar reservado às depiladores no meu conceito: o dos profissionais mais sádicos, macabros e malvados que existem.
*Ontem fui na minha loja campineira preferida, a Super Bacana. Fui lá deixar sinhaninhas e carteiras. Além do papo sempre gostoso com a Adriana Frias, idealizadora das bacanices, saí de lá com um vestido e uma saia. Ou seja, soma zero a cada entrega (o que eu adoro!).
*Ando ouvindo o cd de She & Him sem parar. Ou seja, consegui vencer minha implicância com a bela Zooey Deschanel. Na verdade, com a Summer. Se eu fosse noveleira e morasse no RJ, seria daquelas mulheres que senta o guarda-chuva na cabeça da megera do folhetim das nove. O vídeo de In the Sun é fofo, de dar vontade de brincar de bambolê.

*Voltando à nossa programação normal, tem novidades lá na loja. Confiram:

terça-feira, 11 de maio de 2010

Namastê!

As escolhas da vida são inevitáveis. É sempre assim: ou isto ou aquilo. E eu tenho a sorte de poder escolher as pessoas com quem trabalho. Claro que nem todo mundo com quem a gente trabalha vira amigo, mas muitos amigos acabam se tornando grandes parceiros.
No último final de semana, o Bazar Estação foi lá pro Espaço Padma e a sensação foi unânime: estava tudo lindo, deliciosamente preparado, num clima gostoso de quem se reune porque se gosta.
E, na verdade, foi assim que o Estação Bazar começou: entre amigas que se reuniam pra papear, passear e conversar, todas sempre munidas de sacolinhas com suas criações. Não foram poucas as vezes em que a Deli Paris, na Vila Madalena, virou um mercado de peixe com a mulherada rindo, fofocando, fazendo altas trocas e rolos, numa Babel saudável e amistosa.
E é nisso que eu acredito e é por isso que continuarei trabalhando.
Meus agradecimentos: à Su, pelo espaço, organização e amizade; às queridas Mari, Paty e dona Tereza, que se dispõem a pensar, bolar convite e, sobretudo, botar o pé na estrada; às expositores mais animadas do pedaço: Nil, Paula, Mari Tchibi, Simone, Ju e Fabíola (para essa última, muitos agradecimentos pelos shows grátis e animação); ao esforço sobrehumano da Rosa, que leu tarot até (pasmem!) meia-noite de sábado; a Jo, manicure mais fofa que já conheci. E, claro, aos amigos e clientes.









quarta-feira, 5 de maio de 2010

Estação Bazar: especial das mães


Queridos e queridas das Campinas e região, na sexta e no sábado teremos Estação Bazar - edição de dia das mães por aqui. Dessa vez, um tiquinho maior e aberto ao público, atendendo a pedidos!
Com maricotinha, mimmos, tchibi e grande elenco. E eu também estarei por lá, claro!
Para maiores infos e coordenadas, mande um e-mail para gente:
estacao.bazar@gmail.com
Beijocas e até lá!