Páginas

terça-feira, 22 de março de 2011

Vida selvagem


Nem tudo nessa vida é glamour e morar em casa, tampouco. Acho engraçado quando as pessoas invejam meu quintal... fico pensando nas poças de água e lama que se formam com a chuva, no mato que cresce loucamente e me fez contratar um jardineiro mensal e no cocô da cachorra, que é obrigação dos meus filhos recolher.
E aqui já vou começar a mea culpa: não sou fã inconteste de ter bicho em casa e sempre fui honesta com relação a isso, embora ache admirável quem se ocupa com a questão dos bichinhos abandonados. Fora o meu único cachorro, um cocker chamado Argus que tive na adolescência, nunca mais morri de amores por outro animalzinho.
Mas marido sempre disse que criança precisa de bicho. E eu concordo. Tivemos o Pongo, um dálmata lindo que foi ficando agressivo e psicótico, até morder minha filha (que era quem mais o amava) no rosto. Imaginem a cena: eu, grávida de 6 ou 7 meses do caçula, pulei a janela, dei um bico no cachorro, peguei a Bia no colo toda ensanguentada e saí correndo. Quando parei, minhas pernas e braços tremiam tanto que eu mal parava em pé. Felizmente, não foi nada grave, mas tivemos que despachar o cachorro pra um lugar sem crianças ou grávidas.
Um ano depois veio a Lucy (in the Sky with Diamonds), a cocker mais banana do universo, que tinha medo da tartaruga (embora nossa tartaruga fosse um ser selvagem, que fazia grunhidos e mostrava os dentes) e que está com a gente até hoje. Ela já é uma senhorinha, mas continua malandra. Outro dia, roubou um salame de cima da mesa numa festa no quintal. E havaianas, as legítimas, são irrestíveis pra ela: sempre tem um pé faltando.
E embora eu diga pra ela todos os dias: "eu não gosto de você, sua folgada", ela insiste em ir pulando até a porta do ateliê, onde fica deitada fazendo seus barulhos de cachorra doida.
Mas o fato é que nem só de animais domésticos vive meu quintal. Fora um ou outro beija-flor lindo, as chatinhas maritacas ou outros muitos passarinhos e borboletas que passam por aqui, com a chuva temos recebido a visita do meu terror, os sapos. Esses me deixam paralisada de pânico e olha que não sou de ter medo fácil.
Também aparece na rua, todo fim de tarde, uma familinha de saguis, que caminha pelos fios dos postes e, de vez em quando, vem atrás de frutas aqui em casa (pena que não achei as fotos).
Há uns meses, apareceu um porco-espinho, animalzinho muito fofo, porém perigoso pra quem tem cachorro (as fotos de bichos com espinhos atravessados são horríveis, não procurem!): O bichinho assustado, andou meu muro inteiro conforme eu fui tentando espantá-lo, pois na casa do lado também tem cachorro. Foi a sensação de uma noite de sábado!
E, no último domingo de madrugada, a Lucy começou a latir mais louca que nunca. Marido foi lá no fundo ver o que acontecia e voltou atrás de uma lanterna e da câmera, pois, segundo ele, tinha um bicho muito estranho que poderia ser um Gremlin (!), um gato de perna bem curta ou um rato mutante no cobertinho onde dorme a Lucy. Era o gambá mais bundudo de todos (não que eu tenha visto muitos):
De novo, a lenga-lenga: cutuca a bunda do bicho e espanta pra desalucinar a cachorra e voltar a dormir, pois eram quase duas da madrugada.
Enfim, morar em casa tem desse tipo de emoção que quem mora em apartamento da cidade talvez não entenda ou ache lindo, bucólico ou engraçado. Eu, que me achava a mais urbana das criaturas, já me acostumei a ver da minha porta capivaras popozudas atravessando a rua tarde da noite, enquanto me despeço de algum convidado de olhos arregalados. Faz parte do meu show.

38 comentários:

Ângela Goldstein disse...

Eita que ess avida do campo souzense é tensa! A Saka já pegou um porco espinho e tivemos que ir correndo pro vet tirar aquele mundaréu de espinho. Ela ficou parecendo uma almofada de alfinetes, coitada!
Mas os gambás são todos intimidados por ela e nem chegam a descer pro quintal, só ficam olhando de cima do muro.

Ana Matusita disse...

Tadinha da Sakura, Ângela!
Aqui em casa, eu tive que matar uma cobra com a enxada (dá pra imaginar?), porque a Lucy tava indo pra cima da bicha, que ficava dando bote. Definitivamente, essa vida campestre souzense é mesmo tensa!

Fala, Mãe! disse...

Concordo com vc que é bucólico mas dá medo, pois o pessoal acha fofo, mas esses bichos são selvagens, nunca dá pra saber qual será a reação. E mesmo tendo passado bióloga (que tomava banho rs) acho que esses bichinhos são mais fofos em pelúcia. MAS continuo sonhando com quintal, pois adoro árvores, grama, flores. beijo Ana

Suelem Carolina disse...

Oi Ana, eu sempre vivi em casa com quintais enormes cheios de pés de fruta e tudo o mais( no interior de Minas), e sei muito bem como é, quando aparece um intruso, mas me sinto numa caixa de fósforo morando nesse apertamento(é assim que falo), e meus pais tem sítio em Mato Grosso e quando vou pra lá quero mais é viver no meio dos bichos, rsrs, gosto de ir no meio da mata, mesmo com o risco de encontrar uma jibóia, uma onça ou coisa do tipo, mas é lá que nós encontramos os macaquinhos em seu habitat natural, eu amo! É lá onde eu mato a saudade de morar em uma casa e ter um contato maior com natureza, sendo que na última vez a primaiada estava lá, solta no quintal e apareceu uma cascável, que susto, não tinha um homem em casa, eles estavam atrás de gado, mas minha mãe valente que só a matou com um golpe certeiro e a festa da criançada voltou ao normal!!

Patricia disse...

Oi Ana, eu nao troco minha casa de volta para apto de jeito nenhum ! Aqui, o que aparece sempre é tucano. Aí onde vc mora é lindo, mas é mais "selvagem" ... rsrs

Acho que te vi no D.Pedro sábado passado ... estava no corredor oposto, andando depressa. Fiquei com vergonha de ir te dar um oi.

Beijo
Patricia Tedeschi

Ju Fidélis disse...

Esse era o meu sonho até a 15 minutos atrás, antes de ler o seu depoimento.
Mudei de idéia! Nem me imagino dando de cara com uma cobrinha no quintal... e com filhos, tô fora!!!
Obrigada por dividir!

Nina Dias disse...

Acho que vou pensar melhor se vou querer passar minha aposentadoria no mato!! Sou tão da cidade e vivo sonhando com uma casa no campo!!Penso em me adaptar no meio e meio, existe!!!????bj Nina

Ana Matusita disse...

Oi Ju! Não mude de ideia, morar em casa é muito bom. Eu moro perto de uma área de proteção ambiental às margens do Atibaia, então de vez em quando acontece de aparecer algum bicho. Faz parte!

Oi Patrícia! Me pegou no pulo! haha!
Fui no D. Pedro almoçar com meus filhos no sábado.

Oi Suelem! Eu não sou assim tão campestre como vc, mas também não gostaria de morar de novo em apartamento.

Oi Cynthia! Quintal com frutas e flores é a parte boa da coisa! Vc viu como o quintal da Laély tá florido?
A grama do vizinho é sempre mais verde! hehe!
bjs

Clara Miranda disse...

Ana, eu chorei de rir com a tartaruga!!!
Morei a vida inteira em casa, moro há 3 anos em apê e morro de saudades!
Adoro!
Bjim

Menina-Flor disse...

Ai Ana, que engraçado, praticamente um zoológico em casa( sem querer né?)...
Mas eu moro em apê... e queria ter um zoologiquinho para mim!
Bjos floridos

Rita de Cassia disse...

Ana, sei bem o que é passar por isso. Moro num loteamento numa área chamada rural, se bem que é colada com a área urbana do bairro. Porém já tomei muitos banhos de olho nas rãs na parede do banheiro, já tirei cobra do telhado, do escorredor de louças. Tem uma sapo que quando chove dá uma passada por aqui, desconfio que seja de minha vizinha, acho que ela cria e não quer contar. Quanto a esse bichinho aí, o gambá ... aqui ele é chamado de timbú e já fomos muito visitados por ele. O cheiro é horrível mas o pior é se ele morde... sabia que o bicho não solta, você pode sacudir a vontade. Vai ter que tirá-lo a força, mas não sei como porque já levei duas carreiras deles e até hoje eu ganhei.
Morar numa casa é realmente bem confortável, mas pra mim no inverno é HORRÍVEL! É quando todos os bichos querem passar a chuva com você.
bj bj bj

Laély disse...

Porco espinho sempre aparece por aqui; o cachorro já aprendeu, de maneira dolorosa, que não se deve brincar com eles. Gambás são menos frequentes.
Mas viver numa casa em região mais tranquila tem dessas aventuras.
Abraço!

Milena disse...

Ana,a grama do vizinho é sempre mais verde,não é?
Uma casa tem seu lado glamour,mas também tem seus desprazeres.
Onde minha mãe mora,de vez em quando,até a cobra vem tomar banho na piscina,rs!
Mas olha,moro no Rio e onde moro há gambás também e eles não são charmosos como do desenho e tampouco falam Ma chérie!!
E concordo com você,bicho em casa,é para quem curte.Pois limpar a sujeira,dar comida,cuidar do bichinho é chatinho e tem que ser feito todos os dias.
Já morei numa casa em Minas,onde o piano tocava sozinho todas as noites,até que um belo dia vimos um ratinho subindo a parede que era de pedras,entrar no piano e logicamente andar lá dentro,pisando nas cordas.
Foi meio decepcionante não ter um piano assombrado,mas foi engraçado!
Estou acostumado com a vida como ela é,rs!

Bjs

Maria Laura Martins disse...

Meu pai também tem quintal grande, e ele cria galinhas... vira e mexe aparece uma criaturinha feia dessas ai por lá.
O problema lá é que esse bichano ataca, mata e come as bichinhas...
E ele nem pode fazer nada, porque é crime matar esses bichanos!

fátima disse...

sabe que esse gambazinho aí não é privilégio de quem mora no "mato", não?
minha casa de itu fica num condomínio quase no centro da cidade. é arborizado, mas é DENTRO da cidade.
pois bem, o tal bichinho é figurinha carimbada por lá. várias vezes nos assustamos à noite, durante um churrasco, com o barulhinho nas árvores e a aparição da sua carinha.
e ele nem se assusta mais com a gente, parece que já virou bicho de casa!

bj

Ma Stump disse...

Oi, Ana!

Ri e me identifiquei demais com seu post! Moramos em casa, pertinho da Serra da Cantareira, há mais 20 anos! Sei que nesse tempo foram muitos e muitos tucanos, corujas, papagaios, gambás, macacos! Tudo exótico, trabalhoso, mas bem prazeroso tbm!

Sei que esse relatinho já meu deixou com saudades...

Pela primeira vez na vida estamos indo para um apê na "cidade". E isso já na próxima semana! Ai ai... Posso ir de vez em qdo para o seu quintal para matar as saudades da vida selvagem?

Um beijo grande pra vc e para todos os bichinhos! ;)

Marina Mott disse...

hahaha! passei por situação idêntica várias vezes ...aqui em São Paulo!! E eles andam em casal, normalmente...ôh dureza! beijo!!

Taia Assunção disse...

Ana minha flor, no quintal de Minas além dos camudongos (que fazemos controle mensal), temos lagartas, pererecas e lesmas...já na Bahia, siris...rsrsrsrs. Beijocas!

http://claudiaaoextremo.blogspot.com/ disse...

Valha me Deus...eu tenho pavor desses bichinhos-lindinhos-poeticos
Morei em uma chácara certa vez e o banho era cheio de pererecas na parede cobra no botijão de gás...afff não gosto nem de lembrar
Beijo flor

harumi disse...

oioi, ana!
pra uma criança de apartamento como eu, é até difícil de imaginar uma coisa dessas (apesar de não duvidar nadinha). meu marido sonha em voltar a morar em casa. quando isso acontecer, virei aqui compartilhar as histórias de porco-espinhos e gambás. por hora, me divirto com as de vocês! :-)
beijocas,
da harumi

mArCeLe disse...

KKK
Mas aposto que vc não troca sua casa e o seu quintal gostoso por nadinha de nada! =)

Cela disse...

Mesmo assim eu acho que gostaria muito de morar em uma casa! :P

Eli disse...

Nossa é pura emoção todo dia hein? Eu moro em casa, mas numa área bem urbana, a única coisa que me incomoda de verdade por aqui são os ratos, os camundongos desgraçados difíceis demais de pegar que fazem sujeira por toda parte. Eu os odeio! Mas faz parte da vida de quem mora em casa. Beijos!

RECOMADRES disse...

Oi Ana,
Também admiro que ama e tem animais de estimação, mas não é o meu caso...até já tentei mas não é pra mim definittivamente.
Por aqui também recebo umas visitas, bem mais lights que as suas, apenas beija-flor e bem te vis, e já tá bom.
Adorei os kits novos preciso passar na lojinha pra encomendar...
Beijos,
Cris João.

Vera Martins disse...

Ana,
Me desculpa, acho que acordar as 2 da matina não deve ser nenhum glamour e nem diversão, mas eu me mato de rir com teus textos...Tua culpa...vc nos presenteia com uma desenvoltura na forma de nos contar algo de forma tão leve que até parece piada...kkk...Muito Bom!

Grande beijo...
Vera Martins-Santos-SP

Alessandra disse...

Mas mesmo assim é interessante pq isso que é a vida. Juro que sou uma daquelas que morre de nojo de lesma, mas que pensa todos os dias em ir morar num lugar assim, cheio de mato em volta, com terra e tudo o mais... Boa sorte aí, e tudo de bom :)

Marta disse...

Nossa!
Todos (quase) bichinhos citados são "encaráveis" mas COBRA ( ai que medo!!!), só em pensar fico arrepiada de horror.Prefiro não estar no mesmo ambiente que ela.

Glau disse...

Morri de rir da sua tartaruga. Em casa animal nunca durou muito. Um dia meu pai apareceu com uma tartaruga apelidamos de Zeca Pagodinho até que descobrimos que A Zeca era fêmea. Era a melhor amiga da minha avó, dormiam no mesmo quarto.

Aqui em Bsb morei numa casa que tinham muitos calangos, sabe como é? tipo uma lagartixa enorme q fica parada balançando a cabeça e vc chega perto, ela corre como uma doida. Ela pra um lado e eu pro outro.

Um beijo pra vc
ps: até agora rindo da sua tartaruga

Ana Matusita disse...

Meninas, é verdade: nesse momento eu não trocaria a minha casinha por um apartamento por nada! somos muito felizes aqui, mesmo com a bicharada. Aliás, ontem tinha um sapo tomando banho na vasilha de água da Lucy...
bjs

Simonepin disse...

Ahh Ana, são as aventuras eim! Deve ser uma delícia morar num lugar tão lindo, mas deve ser ótimo levantar às 2 da manhã com o marido querendo filmar um "gremlin" eim! kkkk
bjos linda!
www.palavrastraduzidas-pin.blogspot.com

DaniMoreno disse...

Aninha, tbm sou um ser urbano enfiada no meio do mato!!! rsrsrs

Morei a vida toda em apartamento e há 7 anos mudamos de Campinas para Blumenau e para uma casa!!! Aqui tbm tem sapos, papagaios, tucanos, maritacas, insetos, bichos... rsrss... sinto falta do fuzuê da cidade grande, mas nada paga o ar puro e a vista que tenho!! Um dia faço uma postagem com o lugar onde moro.

beijinhos

Artes de uma lihh disse...

Oie.
Impossível não gostar dos seus post, que legal, amei seu blog, estou te seguindo com certeza, muito engraçado, capivara popozuda? rss
lihh

Renata disse...

Ri muito com o "gremilin!"
seu blog é uma graça, está de parabéns!

Ana Matusita disse...

Caríssima anônima sem nome, sou chata sim, a maior mala da blogsfera... entender ironia não é pra todos, então, sugiro que vc continue não lendo blogs, especialmente os "falados".
E em resposta ao seu desejo, comecei a vida de casada morando em apê pequeno e era tanto, mas tanto amor, que fomos muito felizes, assim como somos hoje.
Aliás, se eu sou chata porque não gosto de cobras e sapos quem lista choro de criança e marido por perto como inferno é o que?
Cordialmente,
Ana
p.s.: quando quiser que eu publique seus comentários, por favor, deixe nome e link de retorno.

Dri Morango disse...

Morar em casa tem seu preço, mas não trocaria por nada.
Já encontrei um gambá afogado na piscina (tadinho) e não foi nada agradável. Por outro lado, tinha uma família de micos que (quando não roubavam comida) eram fofos e divertidos. rsrs
Ter quintal é gostoso, mas como tudo na vida... aparecem alguns probleminhas. Ainda mais perto de reserva.
Welcome to the jungle! :-)
Amei o post.
Como já te disse, você precisa fazer um "stand up" com eles. Topas???
Bjks

Flávia Ferrari disse...

Ana,
sou da turma chata, mas um pouco mais urbana.
O que não me impediu de ter que espantar, veja bem, um morcego que adentrou em minha sala, burlando a rede de proteção e o fechamento da sacada (havia apenas um vidro aberto).
Ah! Ele ignorou que estava na metrópole e entrando em um apê no vigésimo andar.
A vida selvagem está em todos os lugares!
Beijo

Taia Assunção disse...

É cada figura que aparece, ninguém merece esses anônimos...meus inquilinos atualmente tem sido os mosquitos, vivo com uma lata de baygon na mão...pavor de pegar malária. Tem também os corvos que insistem em ficar sobre o meu telhado. Nos mudamos para a casa da ponta, onde fica um holofote e então tem um monte de insetos...acordo com os danados fazendo bagunça (as cinco da matina)...beijocas!

Lorena disse...

Adoooooreeeeei!!!Já sou fã incondicional do seu quintal...amo!!!Principalmente dos bichitos....eu sou louca por eles...rsrs...Quanto o gambá do traseirão, ótimo; capivara popozuda,kkkkk, vc é muuuuito divertida...bjocas.