Páginas

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Um antes ainda sem depois...

Lembram do chapeleiro daqui de casa? Lindo, né?
Tanto que foi coadjuvante em reportagem e em blogagem sobre como colocar papel de parede, empreitada de suar a camisa que fiz há um tempo atrás.
Mas daí que eu cismei que ele tinha que ser colorido, assim como já fiz com o armarinho da cozinha que chegou branco e ficou vermelho, ou com a cadeirinha de criança ao lado dele, que hoje é turqueza. Ou, ainda, com o armarinho do ateliê, amarelo da gema.
Aqui em casa, sou voto vencido quando se trata de pintar qualquer pedaço de madeira natural. Todos protestam. E, no fim, só venço se decidir que meu voto vale n+1...
Dessa vez, foi diferente. Cheguei e falei pro marido que queria pintar o chapeleiro, meio como quem não quer nada. Como ele é uma caixinha de surpresa, falou que a gente poderia comprar uma pistola de pressão, daquelas de pintura, pra facilitar. Foi o que bastou: no dia seguinte, saí e comprei tinta em spray, depois de uma pesquisada básica entre os blogs e as amigas experientes (tem quem aconselhe, tem quem desaconselhe, depois eu conto).
Comecei a pintura ontem. Fiz uma lambança descomunal (e, agora, tenho mais um problema pra resolver, que é limpar o piso da varanda que, mesmo com uma lona enorme, ficou com um pedaço pintado).
Como a tinta acabou, hoje corri pra comprar mais na imensa leroy. Qual não foi a minha surpresa ao ver que a cor que eu queria, no tipo de spray que comprei na sexta, havia acabado?
Perguntei pra mocinha se o spray geral servia e ela, apressadamente, disse que sim, claro. Calculei por alto e saí de lá toda pimpona com cinco latas.
Quando apliquei o que seria a segunda camada com o spray novo, o desastre: a pintura descascou inteira, como se eu tivesse mandado uma sprayzada de solvente.
E eu, sozinha em casa, fiquei com aquele choro preso na garganta e a latinha na mão. Désolé.
Cena perfeita pra uma segundona, né não?
Na hora, a vontade era de voltar na lojona e soltar os cachorros e estragar o dia de todo mundo, já que o meu já tinha ido pro vinagre. Não fiz isso. Fui pra cozinha e fiz o almoço. E os filhos chegaram e meu mais velho me deu o primeiro sinal de que nem tudo estava perdido dizendo: "mãe, não fica assim, eu te ajudo"!
Ownnn...
Só com a pança cheia e os filhos alimentados é que pensei na lojinha de tintas do meu bairros, em que os atendentes são sempre atenciosos e entendem do assunto. Fui até lá, com as duas latas de spray diferentes na sacola. E o moço se compadeceu do meu problema colorido, me disse até que isso acontece e tal, pra eu não ficar chateada, mas que, como os solventes dos dois sprays são diferentes, eu teria que lixar tudo, passar primer e começar de novo. E até se ofereceu pra trocar as latas de spray, caso eu desistisse.
Só que meu nome do meio é obstinada e, claro, não desisti. Agradeci muito a gentileza e terapia rápida que o pobre teve que me oferecer e voltei pra casa com o material.
O móvel, a essa altura, está lá no quintal, já lixado, com primer e a primeira camada de spray.
Não sei como vai ficar, se vai dar certo. Mas vou até a última latinha de spray...
... aguardem!
Boa semana!
p.s.: quem adivinha qual a futura nova cor do chapeleiro?

20 comentários:

Carol disse...

Será verde?

Eliete disse...

Oi querida,acho que posso te ajudar,temos uma recuperadora e veículos e entendo um pouco desses produtos...rsrsrs(quanta modéstia)!!
Para tirar a tinta do piso é só limpar com thinner,produto comprado onde vendem materiais autmotivos encontra sempre!!
Outra,eu aconselho,não sei se foi essa que vc usou,mais é melhor usar spray de tinta automotiva,o preço é o mesmo,talvez altere um real,mais a qualidade para peças maiores é melhor!!!
Bjus, espero ter te ajudado um pouco!!!
http:elindodeviver.blogspot.com

Ana Matusita disse...

Oi Eliete, obrigada! Te mandei e-mail.

Oi Carol! Será que é verde?

bjs

Marina Mott disse...

Então, eu estou no sentido oposto: dando banho de tinner para tirar a tinta de uma penteadeira...hahaha! A gente não tem sosego! Vai ficar bem legal! E como eu adoro vermelho, acho que vai ser dessa cor! beijo, Ana!

Baú da Dadá disse...

Ana! Essas coisas são de matar! E esse povo que trabalha nas "lojonas" acho que é mais "curioso" que a gente. Mas estou torcendo por vc e seu maravilhoso chapeleiro. Pensei em chutar vermelho ou pink, mas acho que vai ser BLUUUUUUE! Beijos e boa sorte!!!!!
Renata

Glau disse...

Spray dá barato! hahaha

Não sei que cor que é, mas tô doida pra ver de perto e botar a carona lá no espelho pra ver se estou biita pra festa!

Sara Alencar disse...

Sou igual a vc, não posso ver uma madeira sem cor, aqui em casa todos torcem o nariz, mas no final todo mundo adora rsrs... Estou ansiosa pra ver o resultado.
bjs

Mina disse...

Oi Ana! não me deleta dessa vez,hahaha!

Acho que é verde ou azul ( talvez pink?) com um ar meio retrô...

Na hora do cansaço, dê um tempinho para tomar um cafezinho e relaxe para voltar com pique total!

beijos!!

Nara disse...

Oi Ana, é lindo o chapeleiro! Na casa da minha avó tinha um parecido. Vou apostar em duas cores de resultados bem opostos: branco ou dourado! Boa sorte na pintura! beijos

Coisinhasdalili disse...

Amarelo! Tenho certeza que é amarelo! :-)
Ana, lixei e pintei o berço da minha filha 3 vezes, grávida de 6 meses... é uma m mesmo. Tenho certeza que vai ficar lindo! Força!

Gigi Couto disse...

Lilás? rsrsrsrs

Nina de Oliveira disse...

Isso, Ana!
Não desita ao primeiro contratempo.
Raramente aceito não como resposta, rsrsrs.

Beijos

emy disse...

oi Ana! Sempre q eu vou pintar um móvel, eu compro toda a tinta q vou usar, recomendação do meu marido. Ele diz que usar outra tinta por cima não dá certo, porque muitas vezes os solventes, os reagentes mudam de marca para marca... Já pintei madeira com pincel, com rolinho, com compressor. Achei q o compressor (pistola) deu melhor resultado, mas é um perrengue, pois faz uma sujeira danada e se não tomar cuidado, a tinta escorre... Ó, adorei seu móvel. Queria um desse pra mim =)

Ester disse...

Ana é linda sua chapeleira, tenho uma que amo, já pensei em pintar de vermelho.
Eu gosto tanto de pintar que meu marido me deu um compressor profissional no natal de 2009.
Acho que a chapeleira será rosa.
Beijo

mArCeLe disse...

Novela Mexicana... Putz...
Acho tão feio pessoas que querem vender a todo custo!
Tô imaginando a chapeleira num amarelão de tirar o fôlego...

Dri Morango disse...

Acho que será azul. Será???
A poucos dias pintei um carrinho de supermercado e meu chão da área está do mesmo jeito.
Entendo, um pouquinho, sua frustração. :-))
Bjks e boa sorte no fim da tarefa.

lena muniz disse...

lindo!

Cristiane Cordeiro disse...

Ufa que história, acredito que será na cor "branca".
Boa sorte!
Kisses.

brincando com linhas e tintas disse...

Menina, fiquei até com peninha d'ocê... Eu nem me atrevo a usar spray, por vrs motivos e um bem convincente...paro de respirar, so isso... rs.. Pintei uma comoda, com rolinho, tudo feito na calma e como hobby... se eu n pensar assim, sai qq coisa, menos o q deveria... Mas eu acho q vc vai pintar de PINK fortão... Aqui nesse blog ta tudo fofo! parabens
Bj

Ana Matusita disse...

Sabe que, depois da péssima primeira experiência, eu aprendi a lidar com o spray?
Mas só pra peças pequenas!
Bj,
Ana