Páginas

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O macarrão de domingo e as adaptações da vida

Domingo é o dia nacional da macarronada. Prato único, pouca panela pra lavar, calorias extras e leseira durante a tarde.
Mas daí vem seo Jamie Oliver, com suas receitas deliciosas e faz a gente encarar um simples macarrão com outros olhos, mantendo todas as outras variáveis intactas porque domingo é domingo! Eu e marido há tempos estávamos de olho na receita com jeitão oriental. O Jamie pedia ruibarbo, barriga de porco e agrião; na geladeira tinha maçã, costelinha em cubos e rúcula.
E vou contar uma coisa: há um tempo atrás eu teria fechado o livro e partido pro molho de tomate. Só que a vida doméstica ensina que, de vez em quando, mudar a receita não é nenhum pecado mortal. Então, ao invés de correr pro supermercado em pleno dia de ócio, trocar ingredientes é muito mais sábio (mais ainda se tratando do tal do ruibarbo, que nunca vi por essas bandas). Claro que conhecer um pouquinho o sabor ou, ao menos, o efeito que o ingrediente pede, ajuda muito (vale até apelar pro Mr. Google). No caso, o Jamie já havia explicado tudinho no livro e no programa, facilitando bem a vida dos donos de casa!
Eis a nossa versão dos Noodles com ruibarbo picante e ácido e porco crocante (nosso chef inglês é meio ruim de título mas ninguém é perfeito, né?):
Misturamos no processador a seguinte marinada: 2 maçãs descascadas; 1 cebola; 3 dentes de alho; 1 pedaço grande de gengibre fresco; pimenta calabreza; 4 colheres de melado; shoyu a gosto.
Depois de limpar um pouco da gordura da costelinha, colocamos numa panela grande de ferro, cobrimos com a marinada e levamos ao fogo médio até a carne ficar cozida. Então, a panela foi ao forno para dourar a carne, sem cobrir.
Lavei tomatinhos uva e rúcula e achei que estava ótimo, mas marido quis fazer o macarrão e, diga-se de passagem, foi a ideia mais que perfeita. Ele cozinhou meio pacote de lámen e colocou no prato bonito.
Tiramos a carne douradinha do forno e dissolvemos um pouco o molho no fundo da panela, que foi para o prato de macarrão. Por cima, colocamos as costelinhas, os tomatinhos e a rúcula.
Olha o marido, exibindo o prato lindo: Não sei se foi a comilança, mas fiquei bem pensativa todo o resto do domingo. E tenho que dizer que tentar ser um pouco mais flexível tem sido um aprendizado e tanto. Embora eu ainda tenha minhas dificuldades em me dobrar frente às vicissitudes da vida, encontrei no caminho o melhor e mais amoroso professor. E não, não estou falando do Jamie, nem da cozinha.
Boa semana!
p.s.: pra quem quiser ver a receita original, o livro é o Jamie em Casa.

7 comentários:

Thaís disse...

As pessoas estranham quando a gente fala isso, mas cozinhar ensina tanta coisa, né?!
Adorei a receita e as suas adaptações! Vc sabe que eu tenho o Jamie em Casa e nunca tinha reparado nela?
Bjs

Ana Matusita disse...

Thaís, acho que a vida doméstica toda é um aprendizado. Só que a gente não se dá conta, né?
Bj

harumi disse...

ah, que delícia de receita adaptada! aliás, um novo prato, hein? O Jamie que se cuide com esta família!!! :-)
Realmente, a vida é toda cheia de adaptações e ter um bom companheiro para caminhada faz toda a diferença, né?
Fiquei com vontade deste macarrão! e olha que acabei de tomar café-da-manhã!! hahahahaha.
beijocona.

Taia Assunção disse...

Bela receita, tive que aprender a me adaptar na marra e nem doeu tanto assim. Gata, tenho que falar, seu Jamie é muito melhor do que o original...rsrsrsrs. Belo par de vasos vocês fazem. Beijocas no quinteto.

'Coisas que sei fazer' disse...

Oi Ana, a receita parece deliciosa, realmente sem querer a gente se apega a receitas tradicionais,e deixa as novas prá lá, se você observar as novas parecem nais saudaveis por isso valea pena testar, visite o meu fotolog lá tem umas receitinhas legais.
http://www.fotolog.com/artesdesilvia

Marcele Leite disse...

Hum... Adoro essas comidinhas... =)

Katia Bonfadini disse...

Quanta coisa gostosa nesse prato... eu tô aqui com uma fominha!!!! Beijos!