Páginas

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Bolo Old School pra matar a saudade de um velho amigo!

A semana começou cheia de lembranças boas, já que uma amigo das antigas veio nos visitar ontem. O Fidu foi nosso colega de república (sim, eu era modernex e morava numa república mista), parceiro de noitadas estudando matemática ou assistindo novela (a gente saía correndo da última aula da tarde pra dar tempo de ver Mulheres de Areia, pra xingar a Ruth de bobona e falar que tinha meda da Raquel).
O Fidu também era alvo inocente de muitas pegadinhas. Não que a gente fosse bully, era mais no sentido de errr, fazê-lo perder um pouco da ingenuidade pueril em meio ao mundo cão universitário.
Numa das vezes, aproveitamos um pé quebrado do sofá pra deixar que o nosso amiguinho se sentasse e tomasse a culpa por destruir o sofá-de-família-herdado pelo Fara, nosso outro amigo. Também foram muitos sustos escondidos atrás da mureta esperando o Fidu e o Johnny (mais um amigo muito amado), voltarem do cinema.
E também teve a vez em que todos nos arrumamos pra uma festa dos anos 50, na moradia estudantil da cidade. Lá pelas tantas, o Fidu, vestido de jaqueta de couro preta e gel no cabelo, caiu de maduro (também conhecido como: bebaço) e lá foi uma galera levar o amiguinho pro hospital. Detalhe: fomos no carro de um cara que a gente mal conhecia (estávamos no primeiro ano e, no máximo, a gente tinha um passe escolar na carteira). Alguém tinha que segurar o Fidu, então eu fui junto no banco da frente. No banco de trás estava o Johnny, marido, a namorada do dono do carro e a Sy, outra grande amiga. Lá pelo meio do caminho, o Fidu enrola a língua e me avisa que precisa fazer xixi E vomitar... bem... pra encurtar a história e poupar meus amados leitores de um momento escatológico, só vou dizer que, no dia seguinte, joguei um vestido rodado no lixo.
I-n-e-s-q-u-e-c-í-v-e-l, mesmo porque meu marido nunca deixou nosso amigo esquecer, inclusive quando estávamos no altar, sendo padrinhos de casamento dele!
Bons tempos!
Mas também foram muitas as brigas e as portas batidas um na cara do outro... ainda bem que a maturidade eventualmente chega e faz você rever atitudes infantis e birra, então você tem a chance de se tornar alguém um pouquinho melhor: lá pelo mestrado, tivemos uma conversa franca e resolvemos algumas diferenças, porque amigo de verdade faz assim.
Hoje em dia, o Fidu virou Prof. Dr. Fidu e dá aula no mesmo campus em que nos formamos. E ontem veio pras bandas de cá pra dar uma palestra sobre alguma tema certamente muito relevante.
Confesso que fiquei saudosa de coisas que, na época, eu nem sabia que gostava. E nada melhor pra curtir o saudosismo do que um Bolo Nega Maluca (coisa mais anos oitenta, em que o politicamente incorreto não ficava assombrando as nossas vidas).
Quem atiçou minha larica foi minha amiga Paty, que falou da receita esses dias no facebook e me deixou aguada.
Achei a receita aqui. E garanto que o bolo é perfeito para comemorar boas lembranças e amizades de ontem e de hoje.
=)
p.s.: Fidu, eu me mantive calada durante esses anos todos, você bem sabe. Quem sempre deu com as línguas nos dentes foi seu amigo. Então, tomei a liberdade de contar só pros meus 2570 amigos mais íntimos a nossa história, ok?

8 comentários:

Deia disse...

Oi Ana,

Quase sempre passo por aqui sorrateira...leio e vou embora.
Mas hoje, eu resolvi não sair sorrateiramente. Amo esse bolo e adorei a história.
Amigos de verdade são poucos e é bom cultivar uma amizade assim.
Bateu um saudosismo até em mim, que nada tenho a ver com o pato...
Beijo e boa noite,

Deia

Cris Nagawa disse...

Ai que delicia de bolo e principalmente da historia....a vida se faz de historias e memorias

Nathalia disse...

Oi Ana, bom demais ler essas histórias tão suas e tão divertidas... Bolo quentinho com amigo antigo é uma das melhores coisas desse mundo!

Beijo!

Jô Bibas disse...

Primeira vez que vejo Nega Maluca com leite condensado. A minha é campeã, mas sou obrigada a tentar essa!

Eu que fiz... ou quase isso disse...

OoLHA EU TENHO UMA AMIGA PRENDADA PARA BOLO QUE NEM VC ELA VIVE ME CARINHANDO COM BOLOS DELICIOSOS, PARABÉNS PELO CARINHO COM SEU AMIGO

Miriam disse...

Muito bom reencontrar os amigos né!! Este bolo é o preferido de minha filha! Bj

Natália Rosin disse...

Ahh essa história...
Hahaha

Kátia disse...

Amei a história... Coisas de república sempre me deixam saudosista. Bjs, Boa semana.