Páginas

quarta-feira, 28 de março de 2012

Ovinhos com orelhas

Ao longo da existência do ateliê Ana Sinhana, aprendi que parceria pressupõe confiança e afinidade. E tenho que dizer que a Simone, a arquiteta que virou diva do chocolate, é das minhas. A moça leva o capricho na alma, no gosto pela belo e pelas delícias da vida. E, mesmo na loucura que é ser mãe e empresária numa cidade grande, ela sabe parar e dar uma risada, fazer uma brincadeira ou um comentário carinhoso.
Tem como não gostar de trabalhar com uma moça assim?
E é por isso que, mais uma vez, ataquei de oompa loompa na fantástica fábrica de chocolates da Si e fiz as embalagens orelhudinhas e fofas dos ovos de Páscoa desse ano:
Os sabores dos ovos fresquinhos e deliciosos dá pra conferir lá no chocolatria. Mas corre, porque tudo o que é fresquinho vende mais e acaba logo!


Além dos ovos de babar, a Si ainda ensina a alquimia do chocolate nas suas aulas. E, ao final, além das delícias pra experimentar, os alunos podem se encantar com a mesa linda, preparada por um time pra lá de bacana no qual, por acaso e sem modéstia, eu me incluo!
Enfim, as parcerias a gente escolhe; já amizades a gente tem a chance de construir ao longo do caminho. E, como eu já disse uma vez, a Si é a vizinha e amiga de muro que eu gostaria de ter, pra trocar receitas de doces e amizade.

terça-feira, 27 de março de 2012

Na cozinha: bolo de milho da Dona Amélia

Ando meio nostálgica. Não sei bem aonde arrumo tempo, mas fico divagando, pensando na "morte da bezerra" como diria minha mãe. E, num desses momentos, fiquei com uma saudade imensa da minha avó e do meu avó, que viviam às turras.
Saudades das bonecas de sabugo de milho de cabelo desgrenhado... saudade do biscoito de polvilho frito... do barulho da máquina... de tomar guaraná com suspiro no fim do dia no boteco. E de bolo de milho.
A vó fazia o bolo ralando as espigas num ralador feito pelo vô, com uma chapa de metal toda furada com prego ("modernidades", como o liquidificador, faziam a véinha torcer o nariz!).
E hoje, como fiquei só uma parte da manhã na loja, deu tempo de passar na quitanda e comprar o milho. Só não daria tempo de ralar as espigas, então a receita "modernizada" é no liquidificador mesmo.
O bolo tem consistência mais pesada, como de uma queijadinha, mas é macio, molhadinho e bem amarelinho, pra alimentar saudades e nostalgias das tardes de infância.
Bolo de Milho da Dona Amélia

6 espigas de milho (usei 5)
1 1/2 xícara de açúcar (usei 1)
1 xícara de leite
4 ovos (usei 3 grandes)
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
2 colheres (sopa) de queijo meia cura ralado
1 colher (chá) de fermento em pó

Deixei o forno pré-aquecer a 180°.
Passei a faca pelas espigas, retirando os grãos. Bati no liquidificador com o leite, depois peneirei em peneira grossa, só pra reter as cascas. Voltei para o liquidificador junto com os ovos, a manteiga, o açúcar e o queijo e bati mais um pouco. Transferi para uma tigela e misturei o fermento em pó.
Untei uma forma de mais ou menos 20cm (com buraco no meio) com manteiga e farinha, coloquei a massa e levei para assar por cerca de 40 minutos. O bolo está bom quando estiver firme e corado, mas o teste do palito não vale para essa receita.
Enjoy!

p.s.: fiz antes do almoço, desenformei e cobri e, quando fui tirar a foto no fim da tarde, descobri que metade já tinha embora (o que atesta a delícia da receita da vó Amélia).

quinta-feira, 22 de março de 2012

Antes & durante...

Eu adoraria ter um monte de Antes&Depois pra mostrar aqui. Mas as coisas tem seu tempo, suas dificuldades. Mesmo assim, estamos caminhando e deixando a casa de portão rosa com a nossa cara. Sim, porque o trabalho vai ficar muito mais gostoso com a casa arrumada.
Então, por hora, só posso mostrar um pouco do antes e do agora.
Meu futuro ateliê, no carnaval:

E eu, fazendo as vezes de pintora, ainda no carnaval:

O futuro ateliê hoje, já pintado e com os papéis de parede que escolhi pro armário e pra paredinha da porta:

Fala se não tá ficando lindo e valendo cada minuto da espera?

sexta-feira, 16 de março de 2012

Fofinhos...

Uma fofurice pra fechar a semana de canseira: bichinhos de pendurar e bandeirola para a parede do Artur, que ainda vai nascer!
Bom final de semana!

terça-feira, 13 de março de 2012

Resultado do sorteio, risadas e presente extra!

Vocês estão achando que eu esqueci do sorteio do brinde fofinho, né?
Esqueci não, é só a correria (justificável) por causa do turbilhão de novidades por aqui!
Quero dizer que dei muita risada lendo os micos de costura da mulherada porque, normalmente, quem conta os micos sou eu e inverter os papéis foi muito legal. Adorei!
E as sortudas sorteadas foram... tadáááá:

Para aproveitar a viagem, as sortudinhas vão receber também um exemplar do Craft & Cia, jornal fofo de Florianópolis que mostrou a luminária cor de vinho e o banquinho Cinderela como dicas de decoração para as férias (ok, tô meio atrasadinha, mas as dicas são boas e o jornal é uma graça!).Olhem só:



Então, Carol, Cris, Cristiane, Mariana e Mônica, por favor, me mandem seus endereços (anamatusita@gmail.com).
E obrigada a todas que contaram os micos!

segunda-feira, 12 de março de 2012

Na cozinha: geleia e cheesecake de goiaba

É engraçado como a gente quando gosta de uma coisa quer que todo mundo goste também. Eu sou meio assim: sempre acabo fazendo propaganda das coisas que eu gosto, pelo gostinho de ver todo mundo curtindo.
E como filho de peixa, peixinho é, meu caçula faz o mesmo. Na sexta passada, ele quis levar goiaba (atualmente, sua fruta predileta) para o lanche coletivo da turma. E mais milho cozido, ovo de codorna, cookies caseiros de chocolate e suco de uva. Enfim, um cardápio um pouco diferente, fugindo do tradicional pão com presunto e queijo.
A molecada gostou, exceto da goiaba. E o pequeno retornou com os potes vazios e mais 1,8kg de goiaba madura, que nem mesmo o pequeno devorador daria conta de comer num único final de semana.
Resultado: panelão de ferro cheio de goiaba descascada e picada (1,8kg menos as três que o caçula abocanhou); 350grs. de açúcar; suco de 2 limões (usei siciliano). Levei ao fogo, mexendo de vez às vezes e, quando começou a borbulhar, mexendo direto. O ponto é o teste do pires gelado: coloque uma colherinha da geléia no pires, se não escorrer, tá no ponto!
Rendeu dois vidros e meio daqueles de geléia francesa, devidamente esterilizados.
Ah, também rolou cheesecake no domingo:

Para a massa, usei 1 pacote de bolacha Maria triturada (a preferida da minha infância) misturadas com 100grs. de manteiga sem sal derretida. Coloquei tudo no fundo de uma travessa redonda e levei ao forno por 180° por uns oito minutinhos. Enquanto isso, bati no liquidificador: meio copo de requeijão comum; 2 ovos; 3/4 xícara de açúcar (usei cristal orgânico); raspas de 1 limão; , 1 colher sopa de essência de baunilha; 200 grs. de ricota amassadinha. Coloquei em cima da massa e levei ao forno (o ponto é quando o recheio fica durinho nas beiradas, mas ainda molinho no meio ao mexer a travessa de leve).
Tirei do forno, deixei esfriar, peguei o meio vidro de geleia e levei ao fogo com 2 colheres de açúcar e duas de água e espalhei por cima.
Os pedacinhos de nozes sobraram de um pesto improvisado e estavam dando sopa; foi ideia da minha amiga Tetê espalhar por cima da geleia. A galera estava toda aqui em casa (teve rondelli de massa caseira, mas isso é motivo pra outro post!).
Boa semana!

quinta-feira, 8 de março de 2012

Antes & Depois: luminária+crochê!

Eu sei, eu sei. É dia internacional da mulher e vocês deveriam vir aqui pra ver fotos de rosas, mulheres magras e lindas pulando com a sensação refrescante de usar um calcinha que acabou de sair da gaveta.
Mas, convenhamos, a real é que ser mulher é muita dureza. É cuidar do outro o dia todo e ainda ter que cumprir a convenção de ser linda, bem sucedida, criativa e ter sempre as unhas e cabelos feitos, mesmo que, para isso, a jornada seja tripla. Fora a parte das cólicas, da dor do parto e tudo o mais.
Vamos combinar que dia da mulher podia bem ser, pelo menos, uma vez por mês em datas variáveis, para a comemoração nunca cair "naqueles dias". De qualquer modo, a gente gosta sim de um papo de mulher, de uma frescurinha, um agrado a mais e um carinho.
Então, feliz dia mulherada!
E como eu não perco a mania de querer reinventar a mulher maravilha, entre uma encomenda, uma reforma e o almoço no fogão, tirei fotos da luminária nova que estava por terminar há um par de dias. Vejam o antes:

Esse canto do quarto tinha uma luminária de papel rosa linda, que ganhei há uns anos. Quando rasgou, substituí por essa menorzinha, que ficou meio mais ou menos.
Daí que há uns dias comecei a fazer florzinhas de crochê baseadas no livrinho novo. Fui fazendo sem pensar muito, às vezes sem olhar as receitas e inventando um pouco. Depois, lembrei da luminária japa grandona de tecido e comecei a fazer a correntinha do tamanho da borda. E segui fazendo correntinhas formando "ondas", até encaixar bem no topo da luminária (prendi com uns pontinhos à mão com linha de costura):
Para continuar, coloquei a luminária montada com o ferrinho numa tigela e fui fazendo as correntinhas e prendendo as flores já prontas. Dá um pouco de trabalho mas, como é só correntinha, não é tão demorado.
E o depois ficou assim:

Não foram muitas flores. Só o suficiente para dar uma graça pro crochê de correntinhas. Aproveitei e pendurei umas molduras coloridonas super baratas que comprei na ETNA (entre R$8 e R$10) junto com alguns retalhos bonitos:

E o canto ficou bem mais alegrinho, bem mais no capricho:

Coisa de mulher, né?
UPDATE: o livro que citei se chama "100 Flores para Tricô & Crochê" e comprei na Livraria Cultura.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Modo de fazer: carimbos no Manual Flavia Ferrari

O modo de fazer de hoje saiu no Manual Flavia Ferrari de fevereiro (a correria anda tanta que não mostrei aqui, me perdoem!). Fiz dois carimbos bem bonitinhos que renderam uma capa de almofada pros meninos. Simples e fácil, com material tranquilo para as chegadinhas no faça-você-mesmo.
A Flavia é uma queridona, talentosa e linda, que curte plantas, contar dos filhos e cuidar da casa sem deixar cair a peteca do lado profissional. Enfim, uma mulher maravilha, que compartilha as delícias da vida doméstica lá no Decoracasas e também na revista, que mostra passo a passos sobre todos os temas que a gente adora!
Obrigada, Flavia, pela presença bacana na vida da gente!
E se você quer fazer a capa de almofada, eu também ensinei em outro modo de fazer. Dá uma olhadinha aqui.
Boa semana!
p.s.: o sorteio dos kits ficou para sexta. Me deliciei com as histórias das costureiras na hora da emergência!

sábado, 3 de março de 2012

Fica, vai ter bolo!


Tem muita coisa rolando aqui nos bastidores e hoje cedo, quando anotei mentalmente tudo o que fiz nos últimos dias e tudo o que preciso fazer nos próximos, nem acreditei. Tô me desvirando em muitas e logo vou contar tudo aqui.
Mas daí tem a casa, as vontades dos filhos, os lanches e a vida que não para. E, tarde da noite na quarta passada, me deu uma vontade de comer bolo avassaladora e, sem nem ter jantado, corri pra olhar o livro da Rita Lobo, o Panelinha, salvador certeiro na hora de buscar uma receita que funcione e seja prática.
Como eu tinha comprado uma saco enorme de limões sicilianos por um preço amigo e como a minha vontade de cítricos é eterna, escolhi a receita number one do panelinha: o Bolo Delicia de Limão (receita aqui).
Fiz metade da receita e rendeu um bolo pequeno, fofinho e perfumado.
Perfeito para o lanche de sábado, viu gente?
Bom final de semana!