Páginas

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Máquinas de costura ou FAQ

Há uns dias, o Elson, técnico bacana de longa data, veio aqui na loja pra resolver um probleminha em uma das máquinas de costura. Entrou e já bateu o olho na Singer e na Vigorelli antigonas que enfeitavam a sala da frente e, antes de sair, me perguntou se a gente não pretendia usá-las. Confesso que nem tinha me passado tal ideia pela cabeça mas, quando o técnico é de confiança, a opinião é sempre benvinda. Então, eu e a Maria topamos colocar motores novos nas bichinhas.
Hoje eu usei a Singer, que foi ajustada para tecidos grossos, para colocar viés numa bolsinha forrada com duas camadas de manta acrílica, mais tecidos. Tenho que dizer que fiquei impressionada com o desempenho da senhorinha Singer! Ponto perfeito do começo ao fim, sem "engasgar" ou embolotar linha!
Agora, ela mora do ladinho da bisneta jovem, moderna e eletrônica:

E lembrei dos frequentes e-mails e recados no facebook perguntado sobre máquinas de costura, então resolvi contar um pouquinho da experiência aqui no ateliê, embora o assunto já tenha sido bem explorado em fóruns bacanas, como os das meninas do superziper. Vamos lá:

1) Qual máquina você usa e indica?

Aqui no ateliê, eu tenho:
* uma Brother CS6000i (que foi a minha segunda máquina, pois antes eu tinha uma Singer Prêt-à-Porter, que quebrou de um jeito triste no dia em que meu caçula subiu na bancada...). Essa é uma máquina computadorizada, mas intermediária entre a máquina de costura mais simples e as computadorizadas que quiltam e/ou bordam; tem um número razoável de pontinhos diferentes e é bem valente;
* uma Brother NX450Q, que é uma boa opção para quem quer quiltar projetos maiores e gosta de muitos enfeitinhos na costura, porque tem vários pontos diferentes e a opção de criar alguns pontinhos simples. Mas confesso que tem alguns acessórios que nunca usei, além de só ter feito uma única tentativa de ponto customizado. Ou seja, subutilizo a máquina, que é mais carinha;
* uma Janome 2008, que comprei há uns 2 anos para não sobrecarregar as máquinas eletrônicas com costura mais pesada. A super vantagem dela é que o calcador levanta um tanto além do normal, permitindo costurar várias camadas de tecido. Porém, nem sempre o ponto fica perfeito e por igual, se a costura for muito grossa (o que é bem aceitável e contornável se você for devagarinho).Ainda assim, tem um bom número de pontos bem úteis além da costura reta, como o ziguezague, e o ponto reto triplo. Uma outra vantagem é a manutenção simplificada e barata em relação às eletrônicas;
* uma Janome Overlock 8002d, super útil para quem quer ter um acabamento mais profissional na costura, mas tem pouco espaço para ter uma overlock mais robusta, de mesa. E tem também a vantagem da passagem de linha ser bem mais simples que nas tradicionais. Porém, em menos de um ano de casa, já soltou o parafuso que prende o eixo(que eu não tenho a mínima ideia de onde foi parar) e parou de funcionar. E lá veio o Elson consertar...
* e a nova estrela da casa, a Singer pretinha, recauchutada, lubrificada, com motor e caixinha novos. E qual a super vantagem de gastar numa maquininha antiga dessas? A senhorinha é valente, aguenta bem o tranco e surpreendeu o técnico por não ter muitos desgastes considerando a idade e o tempo de uso. Segundo o Elson, a grande vantagem dela é se limitar unicamente ao ponto reto. Isso faz com que a máquina demore a perder a regulagem e mantenha o ponto bonito, o que é impossível nas máquinas mais novas que fazem mais pontos.

Agora, qual delas eu indico mais?
Todas e cada uma delas, mas isso depende do uso que você pretende fazer. Cada uma tem suas vantagens e desvantagens e, na hora da escolha, você deve pesar o bolso e considerar as especificidades de cada uma.

2) mas é melhor ter uma máquina nova ou uma usada?

De novo, depende. Se você está aprendendo a costurar, eu diria que uma máquina intermediária, com alguns pontos, é o mais indicado, seja nova ou (pouco usada). Se você já costura e quer enfeitar o seu trabalho já dá pra pensar numa eletrônica, mais poderosa.
Por outro lado, investir numa máquina toda vintage, como a nova velha máquina daqui do ateliê, é bem bacana também. Mas vale frisar que ela só faz costura reta. Ou seja NO FRUFRU.
No caso de comprar uma usada ou antiga, acho que o ideal é sempre procurar uma loja especializada, testar antes (ou levar uma costureira mais experiente pra fazer o test drive por você), procurar saber se as peças ainda existem, se tem manual e se a loja garante a assistência técnica futura. Esses detalhes são importantes pra evitar dores de cabeça mais tarde, se você não der a sorte de ganhar uma antiguinha conservada da vovó!

3) como é a assistência técnica para cada máquina? É caro?

Eu tive a sorte de encontrar uma assistência técnica bacana aqui na minha cidade, que é o Bazar Tal & Koisas. Foi lá que comprei a minha primeira Brother, fiz o cursinho para a "pilotagem" básica e lá que eu corro sempre que preciso. Além disso, faço revisão nas máquinas eletrônicas a cada seis meses. É caro, sem dúvida, mas sempre é melhor prevenir e preservar o investimento (que não é pequeno). Também aprendi com os técnicos a tirar a caixinha da bobina e limpar com pincel pelo menos uma vez por semana as linhas e a poeira de dentro da máquina, que podem prejudicar muito o funcionamento no dia-a-dia. O mesmo vale para as não-eletrônicas e, no caso da Singer antiga, a lubrificação de quando em quando também é importante.
Estabelecer um contato com um único técnico também é bem legal (conselho de amiga!), ainda mais se o seu técnico for organizado e mantiver um histórico das visitas.

4) a máquina chegou! iupiii! o que é que eu faço agora?

Primeiro de tudo: LEIA O "MANUEL", colega! E nunca, mas nunca mesmo, se separe dele. O manual é o guia de funcionamento da máquina, com dicas importantes pra você conhecê-la e se acostumar com o seu funcionamento. Além de evitar a visita do técnico a cada pequeno probleminha que possa ser resolvido por você mesma, quando tiver maisfamiliaridade com a máquina.
Também é legal procurar os milhares de tutoriais por aí ou comprar um bom livro. Aliás, acabei de receber de presente um manual novo bem bacana, depois mostro aqui.


5) o que é absolutamente necessário para usar bem a máquina?

Uma coisa que eu aprendi com o Elson é que a agulha certa é super importante. Além do tamanho mais indicado para cada tecido, para não deixar o ponto variar muito, é bom não economizar na hora de comprar a agulha (por aqui, eu uso as da marca da máquina,Brother, de ponta bola e Singer, também ponta bola). Outra coisa importante é que as linhas também sejam de boa qualidade, pra minimizar o tanto de fiapinho e "poeira" colorida nas engrenagens da máquina. Ou seja, se você investiu numa máquina de três dígitos, não vá ser muquirana da hora de comprar a linha, né?
Outros acessórios: réguas (gosto das de metal e das de acrílico quadradas e retangulares) e fita métrica, lápis de marcar tecido (gosto de uma marca japonesa que não consigo lembrar o nome, desculpem!), desmanchador de costura, alfinetes, uma boa tesoura SÓ PARA CORTAR TECIDO e ferro de passar. Cortador circular e placa de corte são ótimos num momento mais avançado do processo.

6) Vale a pena ter uma máquina de costura?
Ô, se vale! Poucas coisas na vida cotidiana se comparam à sensação deliciosa de criar a primeira bolsa, ou fazer o primeiro vestido, mesmo que fique tudo torto e malajambrado.
Costura é persistência, treino, tentativa e erro. E juro, a máquina não morde, no máximo faz uma certa manha, mas é dócil e domável quando recebe o carinho de ser bem usada!

Então, coragem! Se joga no mundo dos panos e linhas sem medo mas, com o seguinte aviso: não tem volta!
Boas costuras!

p.s.: quer fazer uma oficina de costura lá no Café com Pano e, de quebra, saborear um lanchinho gostoso?
Estou pensando com carinho sobre esse assunto, embora o tempo seja curto. Então, se você se interessou, me fala?
(anamatusita@gmail.com)


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Na cozinha: bolo de iogurte com limão

As noites de sexta tem sido de bolos por aqui e o mais frequente é o Bolo de Milho, aquele da minha avozinha, porque anda fazendo o maior sucesso na mesa do café da manhã.
Mas, sexta passada, fiz esse bolinho de iogurte (aliás, fiz o iogurte também). E, sem modéstia alguma, ficou fofinha, cheiroso e delicioso. Coloquei umas framboesinhas que tinha congeladas, mas dá pra substituir por outra fruta ou até deixar sem frutas (é bom de qualquer jeito!).
A receita:

Bolo de Iogurte
(medida: xícara de 240ml; rendimento: 1 bolo médio, feito em forma de buraco no meio de 25cm de diâmetro)

1 xícara de iogurte integral (fiz com um pote de iogurte misturado com 1 litro de leite integral morninho; deixei descansar tampado de um dia para o outro)
4 ovos
1/2 xícara de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 1/2 xícara de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
raspas de 1 limão siciliano (eu sei que é mais caro, que parece frescura... mas a diferença é grande... o bolo fica mais perfumado e o sabor de limão é bem suave)

Pré-aqueça o forno a 180°. Unte uma forma de buraco no meio com manteiga e farinha.
Bata o iogurte, os ovos, a manteiga, o açúcar e as raspas no liquidificador e transfira para uma tigela grande. Numa outra tigela, peneire a farinha junto com o fermento. Vá juntando aos poucos a farinha ao líquido, mexendo com fouet. E nunca, em hipótese alguma, bata no liquidificador!!!
Sério, não dá certo, estraga o bichinho, a massa fica pesada e, definitivamente, não vale a pena. Coloque seus bracinhos de biscoiteira pra trabalhar e, além de um bolo fofinho, você ganhará um "tchau" mais definido!
Leve a massa para a forma untada. Então, enfarinhe as frutinhas (se for colocar) e espalhe sobre a massa.
Leve ao forno por 40 minutos ou até testar com o palito.
E bom lanche!



segunda-feira, 14 de maio de 2012

Na cozinha: cookies de damasco

Tá fácil não... quem pensa que ter um negócio próprio começando é lindo, maravilhoso, muito se engana. A rapadura é doce mas, definitivamente, não é mole.
E a correria anda tanta, que a cozinha aqui de casa anda um pouco abandonada, se não fosse marido ter feito o mais divino dos almoços do dia das mães, com direito a carne assada, macarrão caseiro e torta de maçã, eu diria que há tempos a gente carece de uma boa receita. Embora ontem, lá na loja, o bolo de milho da minha avótenha rendido gratos elogios!
Mesmo assim, corri pra cozinha e fiz esses cookies de fruta (a receita pedia uva passa, mas eu troquei por damasco seco, muuuuito mais delícia!). Vou contar que os meninos fizeram bico, afinal, cookie que agrada criança é recheado de chocolate. Porém, foi só provar os biscoitos macios e docinhos pra todos se renderem!
E eis a receitinha:
Cookies de aveia e damasco
(receita adaptada do livro The Hummingbird Bakery)
rendimento: cerca de 34 biscoitos

180 a 200 grs. de manteiga sem sal
3/4 de xícara (chá) de açúcar (usei cristal orgânico)
3/4 de xícara (chá) de açúcar mascavo (aperte na xícara na hora de medir)
2 ovos
1/2 colher (chá) de baunilha
2 3/4 de xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de canela em pó
1 xícara (chá) de aveia em flocos finos (usei 3/4 de xícara)
1 1/2 xícara (chá) de damasco seco picado

Pré aqueça o forno a 180°.
Bata a manteiga com os açúcares e bata até ficar leve e fofo. Junte os ovos, um a um, incorporando bem com uma espátula e raspando as laterais da tigela. Junte a baunilha.
Numa tigela separada, misture os ingredientes secos: farinha, sal, bicarbonato de sódio e canela. Junte à mistura de manteiga aos poucos, batendo em velocidade lenta. Por último, incorpore o damasco picado.
Faça bolotas de massa com a ajuda de duas colheres (eu costumo usar duas colheres de sobremesa mas, se você quiser cookies maiores, use colheres de sopa) e coloque na assadeira untada ou forrada com papel manteiga. Leve para assar por cerca de 12 minutos ou até ficar douradinho (cuidado para não queimar).
Retire da assadeira com a ajuda de uma espátula e coloque sobre uma gradinha para esfriar e ficar crocante.
Nesse friozinho, fica bom demais com um chazinho de hortelã!
Boa semana!

domingo, 13 de maio de 2012

Feliz dia, mães! ♥♥♥♥

Se você passou alguns anos da sua vida ouvindo/falando coisas do tipo:
"Tira esse pé do chão, menina!"
"Leva um guardachuva que vai chover. Esse sol de São Paulo sempre engana."
"Não entra na piscina com a barriga cheia senão você vai ficar com a cara torta!"
"Não coloca o dedo no pote de doce de leite, senão azeda!"
"Sai dessa friagem!"
"Num calor desse e você tá de moletom? Vai trocar de roupa já!"
"Leva o casaco que de noite esfria!"
"Você tá tão magrinha..."
"Você tá meio fortinha..."
"Não gosto da cara dessa sua amiga, ela é falsa."
"Esse seu amigo é do tipo descoladinho, né?"
"Essa saia é muito curta, parece de mulher da vida."
"Essa saia é muito comprida, parece de maria mijona."
"Esse seu amigo cabeludo tem cara de sujo. Ele é maconheiro? Fala a verdade."
"Vai tomar banho, menina!"
"Sai logo desse banho, menina!"
"Me obedece, senão você vai ver..."
Se você ouviu/proferiu alguma dessas frases clássicas, você faz parte do time de quem vive intensas histórias de amor, com muitas cenas protagonizadas no aconchego do lar.
Do lado de quem ouviu, hoje é dia de agradecer esse amor tão complexo, mas sempre genuíno (e, claro, retribuir com muito carinho).
Do lado de quem falou, hoje é dia de deixar o uniforme de super heroína e o cinto de utilidades de lado e receber esse carinho.
Feliz dia das mães, mulherada!


quarta-feira, 9 de maio de 2012

Para as mães coruja: tem corujas de enfeitar e corujas de usar lá na loja. Aliás, a lojinha virtual estava em manutenção, mas já voltamos à nossa programação normal!
Então, faça uma visita pra gente, na loja real ou na loja virtual!

Café com Pano
Rua Heitor Penteado, 1085
Joaquim Egídio
Campinas - SP
tel: 19 3305 5483

segunda-feira, 7 de maio de 2012

É muito amor!

Quando a gente abre as portas do nosso trabalho para o mundo entrar e ver, estamos sujeitos a receber de tudo: críticas, olhares de pouquíssimo boa vontade e o que quer que a alma humana seja capaz. Mas prefiro acolher o olhar amoroso de quem sente que trabalhamos e nos esforçamos muito para que cada detalhe refletisse nosso carinho.
E nada melhor do que receber um recado como esse pra pendurar na nossa lousa:
Pra começar a nova semana de trabalho com muito amor!

sábado, 5 de maio de 2012

Cupcake de sábado!

Sábado é dia de passear, dia de relax e também de cupcake na loja!
E o primeiro escolhido foi o de brigadeiro! Nham!
E foi a melhor das escolhas, já que recebemos visitas muito bacanas pro cafezinho craft. A vizinha Ângela, a Letícia e a Daniela apareceram por lá. E eu pude matar as saudades de ninar uma bebezinha linda enquanto a Dani e família tomavam seu café da manhã!
Então, posso dizer que o primeiro de muitos sábados foi uma delícia, assim como o cupcake de brigadeiro!
Bom final de semana!
p.s.: nem me peçam a receita do cupcake de brigadeiro. Quem ficar com a lombriga atiçada que apareça lá na loja em dia de cupcake!