Páginas

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Red


Menininhas de capa vermelha e lobinho de estimação!
Todas já encontraram outras meninas para brincar mas, se você quiser encomendar a sua, vai lá na minha loja ou me manda um e-mail (ana@anasinhana.com).
=)

terça-feira, 23 de abril de 2013

Modo de fazer: terrário e as surpresas da vida

A vida nos oferece muitas surpresas. Algumas arrasam nosso coração e nos fazem tão tristes por algum tempo, que ficamos com aquela sensação de sobressalto ao menor sinal de perigo.
Mas também tem aquelas pequenas surpresas do cotidiano, que arrancam sorrisos sinceros e inesperados até quando o dia poderia ser dos mais carrancudos.
Há uns dias, o Seo João me pediu para comprar "um vaso de vidro, daqueles redondos que parecem aquário". Eu obedeci e trouxe o vaso no meio de lâmpadas e outras coisas da obra.
E, no fim do dia, antes de ir embora, ele me chamou e me deu esse terrário, feito com madeira e terra que saiu dos antigos degraus da frente de casa, que eram de dormente e agora são de pedra. A muda de mini abacaxi também já era daqui de casa mas, mesmo assim, fiquei surpresa com o presente tão singelo:

Seguindo a indicação do nosso construtor/paisagista/jardineiro/marceneiro/horticultor (a lista aumenta a cada conversa, pois vou descobrindo o quão talentoso meu novo amigo é), o terrário agora fica no centro da mesa de jantar e só necessita de meio copo d'água a cada quinze dias. Por enquanto, ele segue firme e forte!
Para o terrário, Seo João colocou a terra no fundo e, no lugar de usar pedras, usou pedaços de madeira dos dormentes. Como a planta é alta, acho que ficou legal encher o vaso com os pedacinhos de madeira, para dar mais firmeza.

Ter o Seo João por perto tem sido bem divertido, apesar do cansaço que é ter uma obra em casa. Além de como fazer e manter um terrário, ele tem me ensinado muitas outras coisas, sempre com lições bem humoradas. Coisas como "quem não é capaz de dar uma risada boa, de boca bem aberta, não consegue trabalhar com alegria" ou "quando a gente faz as coisas com amor, o capricho aparece e as pessoas reparam". Essas lições tão simples são, ao mesmo tempo, cheias de sabedoria. Aquela sabedoria de quem ama o que faz, a casa, a família e a vida que recebeu. 
Na semana passada, Seo João teve um revés, uma dessas surpresas puxa-tapete que a vida traz de vez em quando. A obra ficou parada, mas isso não me entristeceu. O que me deixou com o coração apertado foi saber que coisas trágicas e tristes acontecem e a gente fica meio perdido, sem entender.  
Isso me fez pensar em como é engraçado como as pessoas passam a fazer parte da sua vida. De vez em quando, de algum episódio nem tão feliz assim, nascem coisas que a gente nem imagina, lições que só vamos entender muito tempo depois ou amizades inesperadas. Tudo é uma questão de aquietar o coração e esperar pela resposta no tempo certo, com fé na Providência e no Amor, que nunca nos abandona.
Boa semana a todos.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Bazar e linha de produção!


E já vai começar a temporada de bazares 2013!
No próximo sábado, em SP, estarei no 6° Kohii Bazar, no café mais delicioso da Liberdade!

6° Kohii Bazar, no Kohii Cafe
Horário: das 11 às 18h
Endereço: Rua da Glória, 326 - subsolo - Liberdade - São Paulo/SP

Espero vocês!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Antes & Depois: banco charmoso

Banquinhos são um item super coringa na hora de organizar (e decorar) a casa: ocupam pouco espaço e são sempre úteis na hora de receber. Por aqui, eu tenho dois banquinhos feiosos (tinha, agora só ficou um...) esperando por alguma ideia bacana.
Fiz assim:

Foi bem simples: marquei todos os pés com fita crepe na mesma altura. Depois foi só pintar com esmalte amarelo (usei esmalte a base de água misturado com corante amarelo mas, confesso, prefiro o acabamento do esmalte sintético, embora a secagem rápida seja um super vantagem da tinta acrílica).
Mas o must da mudança ocorreu no tampo do banquinho: seguindo o tutorial da talentosa Joana Ludwig,  fiz o crochê-flor, que virou uma capinha depois de pequenas adaptações na receita. E ficou lindo assim:

Pra quem não tem experiência com crochê, a Joana tem na lojinha virtual dela e também faz sob encomenda, em cores lindas e pontos perfeitos. Vale muito a pena conhecer o trabalho da moça!
Agora temos um lugar extra bem charmoso. Ou um banquinho pra carregar pro jardim. Ou um apoio pro sofá. Ou o que mais o banquinho permitir, afinal, ele é o coringa!
E assim a sala nova vai ficando cada vez mais do jeitinho que a gente gosta!
Boa semana!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Diário de uma reforma - parte 5

E segue a obra, com um monte de coisas inacabadas mas, confesso, tô muito apaixonada por cada detalhe. Engraçado como eu me envolvo nessas coisas de corpo e alma (deve ser meu lado arquiteta frustrada!).
Uma pena que tudo demande tanto do bem mais escasso da vida moderna: o tempo.
Ainda assim, dentro de casa tem estado tudo mais sob controle, já que a fase de corta, serra e passa massa está bem no finalzinho.
Lá fora é que a ação tem sido mais intensa: Seo João, nosso construtor/marceneiro/paisagista/esteta, retirou a hera do muro. Sei que muita gente acha lindo, maravilhoso ver o muro coberto de hera. Mas não é tão belo assim ter raízes saindo pelo seu vaso sanitário, nem entupindo todos os encanamentos. E foi isso que aconteceu aqui em casa, infelizmente. Pra piorar, descobrimos que a hera, depois de tanta chuva, criou mofo no muro, que está num estado lastimável.
Como o terreno é grande, fiquei um pouco preocupada com a quantidade de tinta que iremos gastar mas, seo João, que é o construtor mais bacana do planeta, deu a ideia de tentar colorir a massa do chapisco (se der certo, depois eu conto). Por hora, a hera está empilhada na frente de casa (uma lindeza, só que não).
A parte boa é que o muro está quase pronto e ficou bem do jeito que eu queria. Como nunca tivemos muro, eu não queria nada alto e fechado. Então, criamos o murinho vazado, que vai ter um  portão vermelho baixinho.
A escadinha (que antes era de dormentes) já foi refeita com blocos de pedra, pois a madeira era pouco durável. Seo João recolocou a grama, que está horrível e vai demorar pra ficar verdinha de novo. Faz parte, né?
Agora, o detalhe charmoso da semana ficou por conta do degrau da porta, que tá lindo de morrer!
Olhem só:
 O degrau foi feito com cimento queimado e quatro ladrilhos hidráulicos escolhidos a dedo. Fiquei super feliz com o resultado e com a empolgação do Seo João, que tem embarcado nas minhas viagens criativas. Depois do degrau pronto, ele me falou, todo orgulhoso, que, quando a gente se empolga e faz as coisas com amor, tudo fica mais bonito! Fofo, né?


No próximo final de semana, a minha missão impossível será terminar de pintar o forro da sala nova. Ô trabalhinho ruim, viu?

Sábado passado, fiz a primeira demão e foi dureza. Mas eu sou duranga turrona, então, não desisto fácil (não tem outro jeito, né?). Só não dá para parar durante a semana para fazer esse tipo de tarefa, por mais que seja difícil pro meu perfeccionismo ver um trabalho incompleto, com fita crepe pendurada pra todo lado.
Pelo menos, consegui terminar uma parede inteira da sala antiga. Lembram do papel de parede rosa? agora temos uma parede cinza ali (esqueci de fotografar, então mostrarei depois)!
Enfim, caminhamos devagar, mas com ritmo. E logo serei a feliz moradora da casa mais charmosa da minha rua.
=)

domingo, 7 de abril de 2013

Domingo é dia de... comilança!

Essa semana foi aniversário de uma amiga super querida da nossa família, a miss T., que amamos de todo coração pois, como ela disse, tem pessoas que escolhemos para ser parte da nossa família.
E, claro, aniversário de alguém da família significa festa!
Então, arrumamos uma mesa bem bonita pra petiscar e bebericar, enquanto os homens preparavam o macarrão. E depois ainda teve bolo de chocolate e framboesa...

Uma festança e tanto mas, como as segundas-feiras são o dia nacional da dieta, amanhã eu penso nas consequências!
=)
Boa semana!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Antes & Depois: namoradeira

Este Antes & Depois vai ser do tipo "senta, que lá vem história"!
Logo que a gente resolveu casar, minha mãe quis me dar um presente e eu pedi essa namoradeira, que já tinha conquistado meu coração há tempos na vitrine da loja em frente ao nosso primeiro apartamento. Ela nos acompanhou nas três casas que moramos, acomodou muitas visitas e teve algumas trocas de estofado. E, nos últimos tempos, ficou na varanda de casa, um pouco esquecida. Nunca quis me desfazer dela, porque tem móveis e objetos que eu confesso que tenho apego, amor mesmo, porque vieram parar na minha casa através de situações ou pessoas que eu gosto.
Enfim, com a reforma, a varanda sumiu e eu tinha que dar um destino à namoradeira, mas nem me passou pela cabeça mandá-la embora. Então, resolvi investir num revamp bem profissa: pesquisei e achei uma marcenaria de confiança e preço razoável e mandei a "moça" pra receber laca. Antes, retirei o estofado, porque queria refazê-lo eu mesma, mais uma vez.
Ela voltou toda feliz, amarela-amarelinha, já faz uns dias. Mas cadê tempo de mexer no estofado? Como eu pretendia fazer um patchwork mais complicadinho, tinha que ter tempo e a pressa seria minha inimiga. Detalhe que o estofador da marcenaria me indagou o por que de não levar o estofado, já que a namoradeira tinha ficado linda e merecia um estofado profissional. Me senti desafiada e acho até que vou mandar a foto pra eles, pra mostrar que ficou sim com acabamento bem perfeito e profissional!
Fui fazendo de pouquinho e terminei ontem à noite. E ficou assim:
Fala sério, ficou lindona, né?
Para o patchwork, usei o mesmo método do chevron, que eu já ensinei aqui. A ideia era usar só cinza e amarelo, mas o tecido não era suficiente, então incluí o vermelho (e acho que ficou até mais bacana).
A almofada mega linda de tricô foi um presente da super querida da Cris, avó da minha cliente mirim Ana Lua (lembram do quarto lindo dela, todo lilás, amarelo e azul?). A almofada estava no berço da Ana Lua, eu elogiei e ganhei uma! Tem como não amar uma avó cliente dessas? E eu esperei até a poeira baixar aqui em casa, literalmente, pra poder usar e mostrar a almofada. Só não sei ainda se vai ficar na namoradeira amarela ou na cadeira de balanço branca.
Obrigada, Cris!
Enfim, de pouquinho em pouquinho, vamos ajeitando tudo. 
Isso inclui mudar um pouquinho os móveis e objetos que já nos acompanham há tempos e são parte da nossa história. Esses sempre cabem e sempre vale a pena uma repaginada nas coisas que a gente gosta, pra combinar melhor com as fases da nossa vida.
E vocês? Têm algum móvel com história que foi mudando ao longo dos anos? Mostra pra mim!


segunda-feira, 1 de abril de 2013

Diário de uma reforma: parte 4


Depois de um final de semana prolongado de muito trampo, foi bem legal acordar hoje cedo e ver as coisas tomando forma. Já dá para admirar a luz bonita da manhã que entra pelas vidraças da sala, mesmo que elas ainda estejam (bem) sujas.
O que deu uma boa diferença foi o piso, que já está colocadinho. Só falta passar verniz nas bordas de madeira, que a gente quis fazer bem largas pra marcar a diferença dos dois pisos, já que decidimos não mexer no piso da sala que já existia. Também tive a ideia de colocar o piso na diagonal, o que acabou sendo uma ótima solução, já que o piso da antiga varanda não estava nem um pouco no prumo (a diagonal disfarçou diferenças, que apareceram muito no piso do escritório, que foi colocado "retinho").

Na sexta, marido se encarregou de pintar a parte da frente das vidraças e os beirais, bem altos. Eu fiquei encarregada de passar selador nas janelas e fazer a parte de dentro das vidraças. Escolhemos o vermelho; na verdade, o beiral e os portões das laterais de casa já estavam pintados de um vermelho tijolo. mas decidimos "vermelhar" um pouco mais depois de ver a casinha na capa da edição de março da Casa & Jardim. Vocês viram que casa fofa?
marido nas alturas!

eu, terminando minha parte da tarefa no domingão à noite!

Também lixamos as paredes, envernizamos o madeiramento da viga da passagem entre as salas e comecei a pintar a parede de madeira, que era envernizada e agora será branca. Foi dureza mas, no final, valeu muito à pena ver o esforço render e começar a semana com mais cara de casa e menos cara de obra!
Boa semana!