Páginas

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Na cozinha: um bolo com frutinhas e amor


Esse feriado está sendo muito animado, com a casa cheia de visitas queridas. Primeiro veio a Danny, amiga de longa data que se animou a pegar a estrada sozinha pela segunda vez pra vir aqui em casa. Fiquei tão, mas tão feliz... uma boa parte dos meus amigos é de outras cidades, já que eu estudei fora e nunca mais voltei a morar em São Paulo. Além disso, o meu trabalho me faz ter contato com muita gente de longe, que se torna de perto nas conversas diárias (a melhor parte da internet) e se faz importante na minha vida e no meu dia-a-dia.
E perceber que a distância não é um fator importante para quem realmente se importa com a gente é felicidade demais. Mesmo que o trabalho, o tanto de coisa para se fazer em casa num feriado, ou até o cansaço sejam grandes, ter uma amiga que pega a estrada pra te ver é sinal de amor verdadeiro, né?
Saber que é com pessoas assim que a gente conta para dividir alegrias, pedir ombro na hora do choro e carinho nos momentos de dúvida é ter sempre o coração preenchido. Obrigada, Danny!

Além da amiga querida, meu cunhadinho e cunhadinha também vieram passar o final de semana: pegaram o carro, encararam a aventura da estrada no feriado e estão aqui, rindo e comemorando com a gente. Mais amor em família, mais risadas e alegrias compartilhadas. Valeu, Felipe e Fer!
E as visitas de longe  mereciam um cardápio e uma sobremesa especial, então lembrei da receita de bolo simples, que cresci vendo minha família fazer nas festas e resolvi incrementar com creme de baunilha e, no final, enfeitei com frutinhas e açúcar de confeiteiro num prato bem bonito. Afinal, amor com amor (e açúcar) se paga!

Pão de ló de leite fervendo

4 ovos (claras e gemas separadas)
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo peneirada
1 xícara de leite fervente (ferva o leite e, assim que começar a levantar fervura, desligue)
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno a 180°. Bata as claras em neve em velocidade alta na batedeira. Junte o açúcar aos poucos, depois a baunilha. Depois, junte as gemas uma a uma, sem parar de bater.
Junte alternadamente a farinha de trigo e o leite, batendo em velocidade baixa. Por último, junte o fermento e misture com uma espátula, sem bater.
Eu untei com manteiga e farinha duas formas, uma com 30cm de diâmetro e outra com 20 cm, coloquei a massa e levei para assar até dourar.

Para o creme de baunilha, coloque numa panela de fundo grosso uma lata de leite condensado, duas colheres (chá) de baunilha, duas xícaras de leite e duas colheres (sopa) de amido de milho dissolvido em um pouco de leite. Leve ao fogo médio e mexa até engrossar. Fora do fogo, junte uma latinha de creme de leite sem soro, mexendo bem. Deixe esfriar.

Cortei o bolo maior com uma faca grande, recheando a massa com metade do creme e frutinhas (usei morangos, uva e blueberries). Coloquei a outra metade por cima, colocando um pouco de recheio no centro, onde coloquei metade do bolo menor já cortado; coloquei mais recheio, cobri com a outra metade, decorei com frutas em cima e em volta e polvilhei delicadamente com açúcar de confeiteiro peneirado.

Ficou um bolo simples, lindo e bem gostoso!


terça-feira, 28 de maio de 2013

Meia cortina, janela inteira!

A reforma está passando por uma crise, algo do tipo: "vamos dar um tempo, não é nada com você, sou eu que preciso do meu espaço para pensar, mas sempre poderemos ser amigos..."
Hahahaha!
Na verdade, não houve grandes dramas, nem DR. Só seo João que ficou doente e precisou se ausentar. E, por mais que a gente sinta falta da presença dele aqui, não só pela obra, mas pelo bom papo e pela alegria, ficamos na torcida pela melhora rápida e torcendo para que ele consiga descansar (coisa difícil para almas criativas).
Do nosso lado, buscamos fazer uma coisinha aqui, outra ali, como passar impermeabilizante no tijolinho e outras coisas simples, que não demandem a presença do nosso expert.
E, aproveitando que marido tava animado no domingo, pedi para que ele colocasse o varão da cortina da janela nova. Pedi mais porque tava tudo ali à mão, varão e furadeira, porque não tinha a mínima intenção ou tempo de providenciar a futura cortina.
Só que a minha animada mãe veio aqui ontem, viu o varão colocadinho e se animou. Eu juro: mal virei as costas e ela já estava com a fita métrica, tirando medida e me perguntando: "qual vai ser o tecido da cortina mesmo?"
Animação assim a gente não dispensa, né?

O tecido escolhido foi essa musseline de passarinhos azuis, linda de morrer (mas escorregadio de matar de nervoso). Acho que comprei o tecido antes de ter janela e antes mesmo de pensar em reforma. Comprei porque era lindo e irresistível para quem tem compulsão por estampa bonita.
O problema é que a Dona Hermínia esteve aqui, fez apenas metade da cortina e disse que essa semana está sem tempo de terminar a outra parte... #comofaz?
Eu nem me atrevo a fazer o resto porque vi que minha caprichosa mãe fez um acabamento na barra digno de um passo a passo (quem sabe na outra metade ela me ensina e eu ensino pra vocês?).
Por enquanto, ficamos assim, lançando a tendência da meia cortina na janela inteira...

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Cor da inspiração: amarelo

Nem é necessário dizer que o amarelo anda me inspirando muito, né?
E é só dar uma voltinha pela casa pra perceber os muitos toques de amarelo:
 Nas flores...
 Na sobremesa de domingo...
 Na latinha e no barbante do crochê...
No livro.
Sobretudo, eu acho que a inspiração a gente busca (e encontra) assim, nas coisas cotidianas.
Boa semana amarela pra todos!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Na cozinha: panquequinhas de blueberry


Quando me pediram uma receita para o dia dos namorados, pensei logo em café da manhã, preparado com carinho. E panqueca é sempre uma comidinha que agrada o coração!
Para deixar a panqueca delícia de sempre mais especial, coloquei blueberries na massa. Para enfeitar, cortei queijo fresco com cortador de biscoitos em formato de coração e arrumei uma bandeja bem linda!
Eis a receita, que faz parte do catálogo de dia dos namorados do bazar ógente:


Panquequinhas com Blueberry

Medida: xícara de 240ml
rendimento: 8 a 10 panquecas

Ingredientes:
1 ovo
3 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida
2 colheres (sopa) de açúcar
1/4 xícara (chá) de leite
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
manteiga para untar a frigideira
cerca de 1 xícara de blueberries frescas 

Modo de fazer:
Bata levemente o ovo com a manteiga e açúcar com um fouet. Junte a farinha de trigo, o leite e a baunilha e bata mais um pouquinho. Por último, junte o fermento em pó.
Aqueça uma frigideira pequena e derreta um pouquinho de manteiga para a panqueca não grudar. No fogo baixo, coloque 1 colher (sopa) de massa de cada vez, espalhando um pouquinho para dar o formato arredondado. Coloque 4 ou 5 blueberries na massa. Frite até que as laterais comecem a ficar opacas (cuidado para não queimar) e, usando um espátula, vire e doure do outro lado. A massa deve crescer um pouquinho e a panqueca deve ficar gordinha.
Sirva as panquecas com mel, geleia ou o que mais o ser amado preferir!

terça-feira, 21 de maio de 2013

Antes&Depois: amarelinho, um seu criado!


 Lembram daquele criado mudo tristinho, porém cheio de potencial. Pois é, faz bem um mês que fiz a renovação do bichinho, mas o tempo, aquele bandido, escapou e eu não consegui ajeitar no lugar certo para mostrar aqui. Mas nunca é tarde, né?

Ele estava meio capenga, com uma perna solta, as outras bambas, contact velho no tampo e uma tinta escorrida nas pernas. A gaveta, apesar do adesivo grudado, tinha um desenho bonito no laminado.
Limpei tudo, colei, lixei. Quando tirei o contact, descobri que o meio do tampo estava bem danificado e precisava de massa: passei e lixei de novo. Mas decidi deixar as beiradas sem pintar, porque estavam bonitas.
Pintei os pés e o tampo com spray, tomando o cuidado de cobrir o resto com fita crepe (nessa hora, paciência é importante pra garantir camadas levinhas e uniformes. nada de espirrar o spray de perto, senão escorre e fica horrível). Nas partes em que mantive a madeira, passei selador incolor com pincel para garantir um leve brilho, proteção e cobertura.
E o que era velho ganhou um soprinho de vida amarelo e agora fica no cantinho da minha sala, no lugar da cristaleira, que depois eu mostro pra onde foi.
Está sendo super útil, porque facilita o acesso dos nerds da casa à tomada e serve de apoio pro sofá velho de guerra.

Em cima, achei que ficou legal o abajur com cara de extraterrestre; as flores são do jardim; a foto é minha; a toalhinha eu mesma fiz e a latinha ganhei de uma amiga querida.

Em tempo: eu adoraria ter passado aqui nos últimos dias, contado todas as mazelas da minha correria, mas não deu. Fiquei doente, cansada e estressada. E, nessas horas, melhor ficar quietinha do que correr o risco da falar besteira, né?
Boa semana!

sábado, 11 de maio de 2013

Diário de uma reforma - parte 6

Só passando rapidinho pra mostrar o muro e o portão, novidades dos últimos dias:

A ideia original era comprar um portão antigo no ferro velho mas, pasmem, ele custaria três vezes o preço de desenhar um portãozinho novo e mandar o serralheiro fazer. No fim das contas, temos um portão novo, com jeito de antiguinho de cidade de interior.
Para quem passou pelo bazar e me perguntou pela reforma... *suspira*... ainda tem um monte de detalhes pra fazer e, como é de praxe, acabamos inventando alguma coisa a mais. Ao lado do portãozinho, iria uma corrente para fechar a entrada de carros (já que já temos um portão grande na lateral da casa) e, subindo do pilar do portão até a casa, uma cerca viva.
Mas teve gente torcendo o nariz pro meu projeto original. Enfim, ideia é o que não falta.
Bom sábado pra todos!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Antes & Depois: prateleira do café

No último sábado, lá no Bazar Ógente, várias pessoas que acompanham o blog chegavam e me perguntavam: "e a reforma"?
Fiquei intrigada com o quanto as pessoas estão curtindo as mudanças, não só no mundo virtual, mas no mundo real também. Hoje cedo brinquei que vou instalar uma catraca na porta de casa e cobrar ingresso, pois tem sempre um povo que caminha aqui pela rua e para para olhar, elogiar ou contratar o Seo João!
Acho que isso acontece porque, apesar de morar  num condomínio cheio de casas bacanas, a minha casinha tem personalidade. Vejam, não estou criticando as casas e escolhas alheias; só sinto que há um padrão de cores e estilos que o povo segue que acaba uniformizando muito as novas moradas.
Claro que eu sei que é preciso um pouco de coragem pra tacar um vermelho na frente de casa mas, nesse caso, aplico a mesma regra que uso pro cabelo: deu vontade de cortar? Manda ver! Cabelo cresce e nada é definitivo nessa vida. Portanto, se o vermelho nos irritar a gente muda de cor, ué!
Sei que isso é algo bem pessoal e nem todo mundo precisa aplicar assim, na frente da casa. Mas dá pra colocar uma cor aqui, outra ali. Ou até mudar o que está razoável.
Foi o que aconteceu com essa prateleirinha. Tenho umas três diferentes pela casa e acho super práticas, com um tamanho bom. A única coisa que me incomoda é o fato de não ter fundo (especialmente a que está na cozinha). Essa da foto foi pintada de cinza faz meses, com outras intenções. Daí, o tempo ficou escasso e ela acabou ficando pelo quintal; marido viu e pendurou pra guardar produtos de limpeza. E por lá ela ficou, quebrando um bom galho.

Até que eu resolvi dar um jeito no fundo da prateleira da cozinha mas, enquanto não decido sobre a cor,  usei o impulso pra colocar fundo na cinza e trazê-la de novo pra dentro de casa. Comprei o eucatex furadinho já no tamanho das prateleiras e pintei de amarelinho (não me lembro o preço mas, mesmo sendo no Leroy, foi bem em conta).
Hoje pedi uns preguinhos pro Seo João, mas ele se adiantou e pregou o fundo pra mim e pendurou na parede (eeeehhh!!!). Também colocamos uns ganchos coloridos lindos. Os das laterais foram comprados na urban outfitters e o do meio é nacional e recebeu uma camadinha de spray vermelho pra "ornar" (adoro essa palavra de vó!) com os outros.


Amei o efeito do eucatex furadinho, assim como a mistura das cores que são as minhas atuais eleitas pra sala de casa. Agora, a ex prateleira da limpeza guarda a pequena e amada coleção de cafeteiras do marido, na parede de frente pra porta da cozinha.



E também guarda as sacolas de compras que ficavam esparramadas pela casa:


Com um pouco de cor e um tempinho, a mudança foi boa e deu uma carinha nova para o que era razoável. Afinal, sempre dá pra ficar melhor, né?
=)

terça-feira, 7 de maio de 2013

Depois de muitos dias de correria, bazares e datas limite, estou eu de volta tentando colocar ordem na casa. Na casa real, coloquei uma certa ordem na faxina de domingo (sim, fiz faxina no dia de descanso porque, pelo menos pra mim, parece impossível descansar com a casa suja).
Ontem foi dia de repôr material e lá fui eu pro centro da cidade comprar um tanto que coisa que tinha acabado; hoje voltei ao ritmo de costuras e entregas e, para meu deleite, marido foi fazer supermercado.
Enfim, semana corrida!
Mas não dava pra esquecer que domingo é dia das mães e, apesar de achar que mãe merece carinho todo dia, um mimo a mais sempre cai bem, né?
Tenho um presente começado há meses para a minha... só não sei se conseguirei terminá-lo a tempo. Então, aproveitando a minha vez de preparar o tutorial para o blog do tanlup, já deixei preparada uma carta na manga:

Saquinhos de chá personalizados, ou seja, com uma mistura de sabores que eu sei que vai agradar a minha mãe. E, claro, uma embalagem fofa e um kit de caneca que não deixa queimar a mão e coaster idem!
Quer saber como faz? Dá uma olhada lá no tutorial do tanlup!
Quer comprar  o kit com a caneca e o coaster? Vai lá na minha lojinha no tanlup!

Aproveito para agradecer todas as pessoas queridas que foram me visitar no Bazar Ógente 7. Foi um dia muito gostoso, cheio de amigos e coisas bonitas!
E para as mamães, feliz dia!

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Bazar Ógente 7!


Estou aqui, entre etiquetas, embalagens e produtos, porque amanhã acontece a edição de Dia das Mães do bazar mais craft da cidade!


Eu estarei lá, entre velhos amigos e clientes, procurando um presente handmade pra minha mãe e deixando pistas para o meu presente (também sou mãe, né? mereço!).
Espero vocês!

Bazar Ógente 7
data: 04/05, das 11 às 19h.
end: Rua São Joaquim, 381, 2° andar - Liberdade (duas quadras do metrô São Joaquim) - São Paulo/SP