Páginas

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

2014, mais do mesmo!


Vieram os fogos, a contagem regressiva, o estouro da champagne (do vizinho, porque cometemos a gafe de esquecer de comprar uma garrafa!)... e lá se foi 2013. Mas, no fundo do meu coração, entre os abraços da família e dos amigos mais queridos de sempre, dei adeus ao ano velho e recebi o ano novo sem aquela euforia de achar que que tudo tem que ser diferente, com o tradicional "que tudo se realize, no ano que vai nascer" (embora, o dinheiro no bolso e a saúde pra dar e vender sejam sempre desejáveis).
Provavelmente, é culpa da idade. A gente vai envelhecendo e se dando conta de que a vida é boa, mesmo com um ou outro percalço pelo caminho. Sei que é papo de velho, mas tendo saúde, família unida no amor, trabalho e contas pagas, tá tudo certo.  É  um alívio enorme terminar um ano sem achar que o novo tem que vir cheio de coisas esplendorosas, novidades maravilhosas e riqueza. Simplesmente, porque a riqueza está em agradecer o que a gente tem, as conquistas e, porque não, as dificuldades também.
Deve ser o lado budista dos meus antepassados tentando falar dentro de mim mas, na virada anterior, depois de algumas as pedradas que a vida me deu, reduzi muito as expectativas em relação a muitas coisas e catei as pedras, cataloguei e aprendi com elas. Falando assim, parece que foi fácil - e nunca é, mas, no balanço geral,  2013 foi um ano bom, de muito trabalho, de colocar a casa (quase) em ordem e de aprender a lidar com as coisas como elas são, sem querer projetar sonhos malucos pro futuro, nem querer mudar o passado.
Deixei muita coisa pra trás, aprendi a ver que alguns padrões de comportamento precisavam ser abandonados com urgência e, principalmente, deixei de me magoar com os padrões alheios. Porque, sejamos honestos, a gente sempre espera muito, seja do outro, do mundo, da sorte. Daí, pra cair do cavalo é um pulinho. Melhor mesmo é tomar essas rédeas e fazer o máximo para ter um passeio tranquilo, cuidando do que a gente consegue e não esperando só pelas flores pelo caminho (especialmente, aquelas que não nos demos ao trabalho de semear). E, claro, agradecer por cada passo.
Enfim, tudo isso pra dizer que espero que 2014 venha lindo e limpinho, para que possamos preenchê-lo da melhor forma possível, com a alegria de saber que a vida é coisa bem boa. E, se eu posso ter um modesto desejo de ano novo, que venha um pouco mais do mesmo: amor, saúde e trabalho, pequenas coisas cotidianas que fazem toda diferença na hora de agradecer e virar a página.
Feliz 2014!

14 comentários:

Genisa Couto disse...

Que postagem adorável, feito na base da simplicidade e honestidade. Que seu desejo se realize e 2014 lhe traga mais do mesmo! Bjs

Bel Paranhos disse...

Feliz 2014 para você Ana ! Sábias e inspiradoras palavras. Um beijo.

Márcia Marinho disse...

Feliz ano novo Ana!
Belo texto, uma boa reflexão.
Me vi em várias linhas.
Abraços,

Simone Woellner disse...

Feliz 2014, Ana, com muita saúde, amor e inspirações!
Concordo com você em suas palavras! Abraços!!

harumi disse...

então, que neste ano, tenhamos mais do mesmo, com muito colorido e alegria!!! bom 2014 procê e pros seus!!! ;-)

Ana Paula Camargo Lazzarotto disse...

Muito lindo post, Ana! Que venha mesmo um bom ano para todos nós! Um abraço e feliz 2014!

cidoleta disse...

Olá ana um feliz ano novo a você e toda a sua familia,para mim esse ano que passou foi um pouco complicado mas não me lamento pois também aprendi muito mesmo com os erros e os problemas. Espero que 2014 nos reserve boas e gratas surpresas bjs.

cidoleta disse...

Olá ana um feliz 2014 a você e a toda a sua familia ,para mim esse ano que passou foi um pouco complicado mas não me lamento. pois mesmo com muitos problemas e dificuldades também aprendi muito bjs e que esse novo ano nos reserve boas surpresas.

Silvinha disse...

LInda reflexão, Ana! Feliz 2014 com tudo que vc tem direito e mais um tanto! Relexão linda, repleta de gratidão, humildade e sabedoria.bjs

Eva Mota disse...

Adorei cada palavra, Ana. E principalmente sobre não criar expectativas. Deixar que tudo flua e aconteça como deve ser. Feliz 2014 pra ti!

Beth Salvia disse...

É isso ai Ana, nada de expectativas demasiadas, um ano nov com muuuuita saude, amor e criatividade, bjus

Val disse...

Ainda hoje falei nisso: com a idade ( e estou quase no meio século) deixamos de ter expetativas mirabolantes e listas de projetos e desejos. O que queremos mesmo é saúde, paz, e pequenos momentos de felicidade que todos juntos, vão formando a nossa vida. Sabe que acho que só me dei onta disso este ano? penso que foi lendo tanta blogueira desejando isto e aquilo, e eu sem lista, querendo só poder estar com os meus, e todos c saúde! enfim...

simplesmentefascinante disse...

Bom dia, Ana
Faço minhas suas palavras, você conseguiu resumir em palavras alguns sentimentos meus.
então...que para 2014 nossa expectativa maior seja a da mais pura e simples felicidade.
bjão e um excelente dia.
mari

maristela disse...

Ana quando vi sua postagem me identifiquei bastante. Acho que não é velhice não, apenas a realidade. Também não esperei nada e nem vou esperar senão vou cair do cavalo. Só não consegui lidar direito com coisas do passado e algumas coisas que ainda sofro por não conseguir modifica-las...mas fazer o que, é a vida.
Bjs Bom ano.