Páginas

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Pão de mandioca e os amigos de sempre

Domingo passado, foi dia de festival da mandioca aqui no quintal. Não riam, nem pensem bobeira!
Quem tem amigos festeiros como a gente, sempre inventa um motivo pra se reunir, cozinhar, beber e papear. Engraçado isso, de sempre ter que ter um motivo... no caso dos meus amigos, a gente inventa e reinventa os motivos, que vão desde conquistas importantes ou aniversários, até a safra boa de mandioca da horta do trabalho das meninas.
Acho que, na verdade, isso é ser amigo: buscar motivos, mesmo que pequenos. Eu não vou dizer que fui a pessoa mais popular da escola e que tenho milhões de amigos (facebook não conta), até porque a vida se encarrega da seleção natural e muitos vão embora, seja porque se mudam, seja porque pisam na bola.
E, claro, a gente pisa na bola também (ninguém tem atestado de santo), também se muda e nem sempre tem vontade de deixar o endereço. Coisas da vida.
Voltando à mandioca, meus amigos tem outra característica que nos aproxima: o exagero e o medo de passar fome! hahaha
E, no domingo, me vi com vários pacotes de mandioca pré-cozida congelada e mais de um quilo de mandioca cozida, bem molinha, que sobrou do escondidinho. Como eu não gosto de desperdício, achei que daria um pão lindo e fui pra cozinha, lá pelas 21h, pra fazer um pão. Maluquice minha, porque estava frio e a massa não dava sinais de crescimento. Fui dormir e coloquei o despertador pra 00h30; levantei cambaleando, fui ver e nada. Achei que tinha gorado e fui dormir porque tinha um compromisso super cedo na segunda. Mas, quando levantei, a massa estava super crescida e linda e me rendeu 4 pães enormes!
Não tenho uma receita muito certinha, porque fiz tudo de cabeça. A única coisa que sei com certeza é de que usei 1,1kg de mandioca cozida, bem desmanchada e amassada. Bati 2 ovos caipiras, juntei com 1/2 xícara (chá, 240ml) de manteiga sem sal derretida; 1 colher (sopa) de sal; 3/4 xícara (chá, 240ml) de açúcar. Misturei com a massa de mandioca e fui juntando farinha de trigo aos poucos, junto com 2 colheres (chá) de fermento biológico seco (aquele para pão). Não sei quanto usei de farinha, mas a massa deve ficar um pouco grudenta, não muito lisa (à medida em que  junta farinha, você vai sovando a massa na mesa enfarinhada e soltando com a ajuda de uma espátula). Depois, coloquei numa tigela alta e deixei crescer, o que levou umas 8h.
Modelei os pães sem muita farinha (gruda um pouquinho), passei gema de ovo misturada com café pronto, mas sem açúcar pra ficar com uma cor bonita e levei pra assar por cerca de 40 minutos.
E garanti pão pra semana toda!

Não sei qual será o motivo da próxima reunião (safra de pinhão tá aí, como lembrou alguém no dia da mandioca!). Só sei que os meus amigos de verdade, que posso contar nos dedos das mãos, são ainda mais legais que pão fresquinho feito em casa. Muito amor, mesmo.

8 comentários:

cida silva disse...

Bom dia Ana! Realmente receber pessoas queridas em casa é muito bom.Jogar conversa fora ,desabafar com um amigo mas chegado ou simplesmente curtir o momento. Esse pão também está com um aspecto ótimo ,pão caseiro é tudo de bom. Bjs .

Karola Melangeek disse...

Deu água na boca!

Camila disse...

Huummm está de dar água na boca!
www.voulargartudo.com.br

Artes da Mel disse...

Ana q delicia! tenho mandioca cozida congelada e agora ja sei o q fazer com ela!!
bj
Mel

iwantobakefree disse...

acabei de cinhecer o teu blog e estou gostando. Vou te visitando, bjs

Carol disse...

Ótimo ter bons amigos e melhor ainda é ter pão fresquinho feito em casa.
Beijos

rose japan disse...

Ana esse pão está com uma cara de que ficou delicioso....render 4pães grdes da p ver o qto cresceu,,,pena q aqui o jp nao tem mandioca senão eu iria experimentar a sua receita.

lindas as fotos.

bjs rose jp

Taia Assunção disse...

Não tenho mão boa para pães, Ana...mas amigos: tenho os melhores, Graças a Deus e sempre arrumamos motivo para estarmos juntos. Beijos!