Páginas

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Os pequenos gestos...


Nos últimos dias, tive exemplos pessoais e anônimos de como o ser humano é capaz de ser mesquinho. Me vi pensando no quanto isso ainda me pega de surpresa e, logo em seguida, me senti aliviada.
Não, não fiquei doida, nem gosto de ser surpreendida negativamente pelas atitudes alheias. Fiquei aliviada porque ainda tenho em mim a capacidade de me surpreender, que é consequência de manter a fé no outro e acreditar que as coisas podem ser melhores do que são.
Claro que só vou compartilhar aqui  o exemplo anônimo: estava indo pro trabalho e parei na faixa de pedestres para um idoso atravessar. Atrás de mim, uma mulher num baita carrão buzinou, acelerou e me ultrapassou na faixa contínua, quase levando um teco da bunda do senhorzinho e me xingando e espumando de raiva.
Não é a primeira vez que isso acontece nesse mesmo lugar mas, nem por isso, será a última vez que irei parar para um pedestre. E não faço isso por bondade, ou porque quero ser bacaninha. Faço porque é o correto e me faz bem agir dessa forma.
E também vou continuar acreditando (mesmo que o pé pule e a pulga também se esconda atrás da orelha) que a vida tem que melhorar, que as pessoas podem ser mais educadas e menos egoístas.
Afinal, a vida se faz boa nos pequenos gestos. Aqueles mínimos, mas cheios de alegria.
Como plantar, colher e transformar um maço de manjericão no pesto do macarrão do almoço.
=)

5 comentários:

Maria Teresa Valente disse...

Olá Ana, os valores estão de tal forma trocados, que quem respeita uma faixa de pedestres é xingado. Não dá pra acreditar que isso acontece, porque todos se calam diante desses gestos.
É muito bom falar disso, é muito bom falar que muita coisa está errada...
Parabenizo por sua indignação e por mostrar que nem tudo são flores na cidade... agradeço
Abraços carinhosos
Maria Teresa

Joseane Ramos Duarte Soares disse...

Infelizmente, no nosso país, não a maioria não tem a educação de respeitar a faixa de pedestre. Como motorista, eu respeito. Enquanto pedestre, eu não confio.

Liége disse...

Às vezes me pego pensando quando essa insanidade geral começou... Quando fazer o correto, o certo, deixou de ser a regra... Esse teu exemplo se repete diariamente aos milhares por esse Brasil, fora as outras tantas manifestações de falta de educação, civilidade, respeito ao próximo... Triste...

Taia Assunção disse...

Dureza, né?! E não importa a classe social, educação tem mandado 'lembranças'...um show de horrores. Mas eu sou uma otimista de carteirinha, espero sinceramente que possamos fazer a diferença. Beijos! Plantei manjericão e alho poró por aqui, mas as formigas não tem dado tregua :-(

Maurize - Mão Santa Artesanato disse...

Nossa! Cansei de ser xingada por parar na faixa! É muita falta de respeito 😟