Páginas

domingo, 24 de maio de 2015

Sábado na loja

Ontem foi meu sábado sim lá na Bendita Loja. E foi dia de bolinho, café e costura!


Estamos preparando kits craft para o próximo Bendito Bazar. Esse da foto tem bastidor, material de bordado e sacolinha fofa com tecido Coats!
Para quem ainda não sabe: a Bendita Loja fica na Av. Cel. Silva Teles, 132 - loja 4 - Cambuí.
E, aos sábados atendemos das 10 até 13h.
=)

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Os pequenos gestos...


Nos últimos dias, tive exemplos pessoais e anônimos de como o ser humano é capaz de ser mesquinho. Me vi pensando no quanto isso ainda me pega de surpresa e, logo em seguida, me senti aliviada.
Não, não fiquei doida, nem gosto de ser surpreendida negativamente pelas atitudes alheias. Fiquei aliviada porque ainda tenho em mim a capacidade de me surpreender, que é consequência de manter a fé no outro e acreditar que as coisas podem ser melhores do que são.
Claro que só vou compartilhar aqui  o exemplo anônimo: estava indo pro trabalho e parei na faixa de pedestres para um idoso atravessar. Atrás de mim, uma mulher num baita carrão buzinou, acelerou e me ultrapassou na faixa contínua, quase levando um teco da bunda do senhorzinho e me xingando e espumando de raiva.
Não é a primeira vez que isso acontece nesse mesmo lugar mas, nem por isso, será a última vez que irei parar para um pedestre. E não faço isso por bondade, ou porque quero ser bacaninha. Faço porque é o correto e me faz bem agir dessa forma.
E também vou continuar acreditando (mesmo que o pé pule e a pulga também se esconda atrás da orelha) que a vida tem que melhorar, que as pessoas podem ser mais educadas e menos egoístas.
Afinal, a vida se faz boa nos pequenos gestos. Aqueles mínimos, mas cheios de alegria.
Como plantar, colher e transformar um maço de manjericão no pesto do macarrão do almoço.
=)

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Momento tiete...

 Todo mundo tem algum ídolo, acho que é saudável admirar alguém que, de algum modo, consegue imprimir na gente alguma forma de emoção. No dia do trabalhador, lá fomos eu e a sócia no show Na Medida do Impossível. O show foi lindo: cantamos, batemos palminha e, no final, tietamos a Fernanda Takai.


 Engraçado conhecer alguém que a gente ouve no radinho e descobrir que a pessoa é querida, simpática e tá lá trabalhando com alegria, com aquela voz tão doce de perto, quanto de longe,
<3 p="">Saímos de lá naquele clima "a vida é legal e tem gente fofa no planeta"... hahahaha!
E vocês? Já tiveram algum momento tiete?
Contaí!
Boa semana.

sábado, 21 de março de 2015

O amor é azulzinho!


Lá na nossa Bendita Loja, eu e a sócia adotamos uma expressão pra quando uma das duas começa a viajar muito nos planos: "segura esse forninho" ou "cuidado, o forninho tá caindo"!
E sociedade é meio isso mesmo, segurar os delírios do outro e, ao mesmo tempo, aceitar quando é hora de vestir a camisa de força e baixar a bola. Tem sido um aprendizado e tanto e, creio eu, estamos conseguindo manter alguma sanidade (delírios anteriores não contam!).
Nesse meio tempo, já se passou quase um ano! 365 dias inteirinhos e, logo mais, a Bendita Loja vai fazer aniversário!
Então, eu e a sócia nos permitimos um maluquicezinha e começamos a mudar algumas coisas na lojinha. Porque mudar é bom, traz aquele ar de cuidado, amor e dedicação ao lugar que acolhe todo dia nossos trabalhos.
E hoje foi dia de sumir com a lousa (que a gente amava, mas que já fez seu papel na vida da loja) e pintar a parede. Escolhemos, por unanimidade, o azulzinho. E ó, conselho: se vc tiver um micro espaço nesse mundão, pinta nada de preto não, tá? O azul deu uma luminosidade linda e aquela bela clareada!
Na terça, a gente retoma as arrumações e os preparativos pro festejo, com muito amor!

Bendita Loja
Av. Cel. Silva Teles, 132 - loja 4
Cambuí
Campinas/SP
tel: 19-98930 7506

quarta-feira, 11 de março de 2015

Oficina de costura divertida!

No sábado (14/33), darei oficina de costura lá no Coletivo Mix, da loja The MIX Bazar, aqui em Campinas, pertinho da Bendita Loja

Faremos uma sacola cheia de detalhes legais! 


O preço é camarada (R$35) e já inclui todo o material.

As inscrições podem ser feitas até 11/3 no e-mail: contato@themixbazar.com.br.

Já preparei umas estampas bem bacaninhas pra gente pintar, bordar e se divertir. E claro, fazer a sacola!



As possibilidades são muitas e estou bem curiosa pra ver as coisas legais que vão sair dessa brincadeira!

Ah, não é necessário ter experiência com costura para essa oficina, ok?

Então, se inscrevam lá com as meninas do Coletivo Mix e a gente se encontra sábado, das 14 às 18h!
Te espero.
=)

terça-feira, 3 de março de 2015

Expo Burda

Semana passada, mudei de ateliê!
Estive por quatro dias no stand da Coats costurando os tecidos fofos deles. Logo mais, lá no site da marca, teremos os moldes e modos de fazer de algumas peças, como o short e o avental (juro que, quem viu, morreu de amores!). 
Também foi um momento legal para comprar materiais novos (qual costureira não piraria numa feira cheia de stands de tecidos?) e reencontrar amigos queridos (quem me segue no instagram viu que também me diverti bastante ao longo da semana!).



Foi uma experiência muito legal costurar em público e ao vivo - e ter que resolver aqueles probleminhas comuns do dia-a-dia de qualquer costureira, como tensão da máquina arrebentando a linha, sem perder a classe!
Agora, estou de volta pro aconchego da lojinha e de casa, bem feliz por saber que, quando a gente faz o que gosta, a diversão também pode fazer parte do pacote.
Boa semana!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Pão sem culpa

Nesse carnaval, toda a minha folia foi em casa. Lá pela terça à tarde, percebi que cheguei em casa na sexta anterior à noite e não saí mais. Não posso dizer que foi um carnaval produtivo, mas fiz cozinhei e descansei bastante.
Uma das coisas que eu queria e consegui era fazer um pãozinho diferente, com a preciosa farinha de grão-de-bico que eu e meu marido conseguimos produzir, depois de uma trabalheira danada.
Tudo isso, porque tenho feito o esforço de reduzir a quantidade de glúten na minha cozinha, apesar de ninguém em casa ser celíaco. 

O fato é que, há um tempo atrás, consultei uma nutricionista que me perguntou qual era o meu maior fator de indisposição e, de pronto, respondi que era enxaqueca, uma companheira maligna que tenho desde a infância. Naquela época, ela me disse que populações de origem oriental toleram menos o glúten e que eu deveria testar e fazer um esforço em comer menos farinha de trigo e mais arroz pois, talvez, a raiz da minha enxaqueca estivesse aí.
Achei que fazia todo o sentido, mas não consegui levar o esforço adiante, pois não havia muitas alternativas no mercado para a farinha de trigo naquele momento (e, tudo que eu encontrava custava algo como os olhos da cara).
Agora, uns poucos anos depois, comecei a ver surgir farinhas diferentes nas prateleiras e um mundo de receitas sem glúten. E resolvi recuperar a ideia de comer menos glúten.
Ainda não tentei (e não sei se pretendo) retirar totalmente as opções com farinha de trigo da minha vida, mas reduzi muito e senti uma grande diferença: três meses seguidos sem a companhia da maligna enxaqueca! Uhu!
Minha maior fonte de receitas tem sido o instagram, e foi no perfil @viversemtrigo que encontrei a receita da Bisnaguinha. Não segui a risca; usei a minha farinha de grão de bico e não a farinha de grão de bico com favas que a receita sugere (até pesquisei, mas achei um tanto quanto salgada pro meu bolso).


O resultado foi um pãozinho um pouco mais massudo do que os pães caseiros que a gente costuma fazer, mas muito perfumado e gostoso!


Mistura de farinhas:

300 g de farinha de arroz
300 g de polvilho doce
200 g de farinha de grão-de-bico com fava (pode substituir por farinha de amaranto ou feijão branco. eu usei a farinha de grão de bico caseira*) 

 200 g de fécula de batata ou amido de milho

1 col chá de CMC - espessante
1 col Chá de Goma Xantana - espessante natural
(tanto o CMC quanto a goma são encontrados em lojas de produtos naturais ou de artigos para festa)

Essa mistura de farinhas rende 1kg e eu usei 3 xícaras para fazer o pãozinho.

Bisnaguinha


1 ovo inteiro e 1 clara

3 col sopa de óleo

1 col chá de vinagre de maçã

1 xíc de água morna

1 col sobremesa de fermento biológico seco

1 col chá de açúcar

3 1/2 xíc da mistura de farinhas (usei 3 xícaras)

1 col chá de sal


Pré-fermentação: dissolva o fermento seco e o açúcar na água morna, deixe descansar de 5 a 10 

minutos até formar uma espuma. Reserve.

Na batedeira, bata os ovos e o óleo. Adicione o vinagre, em seguida toda a água da fermentação e os ingredientes secos. Bata bem até obter uma massa lisa, homogênea e levemente grudenta. Unte as mãos com água ou óleo e modele a massa em assadeiras para cupcakes ou assadeira de bolo inglês untada com óleo.
Forno preaquecido a 180 graus.

Assar por 30 minutos.


Senti que, embora seja trabalhoso, é perfeitamente possível tornar o pãozinho francês, aquele que eu amo e que achei que nunca viveria sem, um exceção ao invés de regra do dia-a-dia. Hoje, há muitos substitutos tão saudáveis quanto gostosos para se experimentar e tem sido bem legal procurar alternativas diferentes.

*Farinha de grão de bico caseira:

Deixamos um pacote de grão de bico seco de molho em água por uma noite. Na manhã seguinte, escorremos e deixamos secando no sol, numa assadeira grande. Como ainda estava úmido, colocamos um tempinho no forno baixo, tomando o cuidado de olhar sempre para não queimar, e depois deixamos secando por mais um dia inteiro.
Depois de bem seco, meu marido bateu aos poucos no multiprocessador e peneirou.
Já fizemos um tipo de omelete com pimenta síria e outros temperos e ainda quero tentar fazer falafel, aquele bolinho árabe delicioso!