Páginas

sábado, 1 de agosto de 2015

Pequenas alegrias domésticas: girassol em flor

 Uma das coisas mais gratificantes: ver nascer algo que você mesma semeou!
A cada florzinha que aponta, fico mais feliz por ter parado na estrada pra pegar as sementinhas desse mini girassol.
Trouxe as sementes na mala da viagem que fizemos no começo do ano para Florianópolis e achei que não vingariam, porque as deixei esquecidas um tempão.
 Depois de semear, demorou um tempo até os primeiros brotinhos... tirei da sementeira e passei para vasos maiores e os brotos viraram uns pés de planta feiosos! hahahaha!
Nem dava pra acreditar que sairiam essas flores lindas!
Fico pensando, do meu ponto de vista de pessoa totalmente impaciente, no quanto a gente precisa aprender com a natureza a ter alguma serenidade e aguardar o tempo das coisas...
Nada nessa vida é instantâneo ou fácil (ou, algumas coisas até são). Vale a pena conseguir tudo no mesmo segundo em que se deseja? Será que a alegria perdura?
Sei que tem horas que dá vontade de fazer as coisas acontecerem num passe de mágica mas, ainda assim, acredito que o trabalho do dia-a-dia, de formiguinha e com alguma paciência, traga resultados felizes como essas florzinhas: perfeitas no colorido e na alegria de chegar no tempo certo.
Bom final de semana!

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Modo de fazer: pratos na parede (e na revista)



Há cerca de dois meses, estive na redação da revista Decorar Mais por Menos para fotografar um passo a passo que já fiz uma vez para o blog: pratos forrados com tecidos para pendurar na parede.
Além de ter sido super legal conhecer o pessoal da redação, amei passar a tarde fazendo um pouquinho do que eu gosto: coisas pra decorar a casa.
O passo a passo está na edição de julho (e o antigo, aqui no blog).

 Na mesma edição, tem indicação de dois produtos meus, entre vários outros artigos fofos de gente bacana que já conhecemos pelos blog afora! Fiquei mais que honrada!
A almofada Sr. Raposa está na matéria Arte feita à mão, com selinho "Adoramos" e tudo!
E o jogo americano de bolinhas na seção Artesanato para o Lar.
Ambos os produtos estão lá na lojinha (é só clicar).
Ou, pra quem é daqui de Campinas, dá pra "ver com as mãos" lá na Bendita Loja (Av. Cel. Silva Teles, 132 - loja 4).

Um super obrigada para as meninas da Decorar Mais por Menos, pelo convite e pelo dia bacana que passei por lá!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Local de trabalho


 Trabalhar com o que a gente gosta é uma delícia. Mas não deixa de ser trabalho. E não deixa de ser cansativo.
Tenho feito muita coisa num esquema de linha de montagem de uma pessoa só e, muitas vezes, acaba o dia, não acabam as tarefas e eu fico super cansada (não é porque eu faço coisas bonitinhas que amo todas as tarefas... tem coisas, como em qualquer outro trabalho, que não são tão legais de fazer e sim, cansam pra caramba). E, se a bagunça atinge níveis insuportáveis, parece que a canseira aumenta no dia seguinte.
Por isso, tenho tentado deixar as coisas em ordem, arrumadinhas e com a cara de lugar onde se trabalha com amor (é meio piegas mas, sério, faz uma diferença trabalhar num lugar cercado de coisas que a gente gosta).
O ateliê, assim como a lojinha, está (razoavelmente) arrumado e tem sido bom chegar cedinho e começar a trabalhar. Apesar da canseira da linha de montagem!
É bom trabalhar por aqui!

terça-feira, 30 de junho de 2015

Amor


Da série "coisas que eu acredito": amor.
Acredito em fazer as coisas com amor, mesmo que nem sempre seja fácil (e que dê uma vontade imensa de chutar o balde);
Acredito em ensinar que vale a pena amar, do mesmo jeito que aprendi com o amor da minha vida;
Acredito no amor dos amigos que estão sempre por perto, compartilhando risadas, tristezas, cerveja e até sopinha insossa na hora da convalescência (mesmo que algumas amizades se percam, mesmo que eu me decepcione. Ou mesmo quando eu me perca ou decepcione);
Acredito no amor pelas pequenas coisas, que nos fazem dar valor e ver o real sentido de coisas importantes;
Acredito em aceitar o outro, por vezes tão diferente da gente, com algum amor. Mesmo quando a gente mal consegue se aceitar.
Enfim, acredito em tudo isso, não nessa ordem, nem sempre ao mesmo tempo.
E creio que o amor ainda tenha muitas batalhas a vencer nesse mundo estranho de indelicadezas e intolerência.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Bendito Bazar: arraiá dos namorados!

Chegou junho, meu mês preferido do ano: temperatura mais amena, céu azul e... festa junina!
Nesse clima delícia, organizamos a terceira edição do Bendito Bazar, com um monte de expositores legais (vocês podem conhecer todos lá na nossa galeria de fotos do Facebook), comidinhas gostosas, decoração no capricho, música! Enfim, tudo o que dá alegria pra uma festa.
Porque é nisso que a gente acredita: que o trabalho pode ser alegre e os encontros podem ser festivos!
Para isso, além dos expositores escolhidos com todo o carinho, contaremos também com apoios pra lá de especiais. Olha só:



Nessa edição, teremos uma super novidade: a presença de uma grande amiga minha, a Lu Gastal. Ela virá especialmente para fazer seu Patchencontro lá no Bendito Bazar.
As inscrições para a oficina da Lu devem ser feitas pelo e-mail:adm@lugastal.com.br


Espero todo mundo por lá!

Bendito Bazar: arraiá dos namorados
Onde: Casa de Fazer
Avenida D. Maria Franco Salgado, 674
Sousas
Campinas/SP
Quando: sábado, 13/6, a partir das 10h

domingo, 24 de maio de 2015

Sábado na loja

Ontem foi meu sábado sim lá na Bendita Loja. E foi dia de bolinho, café e costura!


Estamos preparando kits craft para o próximo Bendito Bazar. Esse da foto tem bastidor, material de bordado e sacolinha fofa com tecido Coats!
Para quem ainda não sabe: a Bendita Loja fica na Av. Cel. Silva Teles, 132 - loja 4 - Cambuí.
E, aos sábados atendemos das 10 até 13h.
=)

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Os pequenos gestos...


Nos últimos dias, tive exemplos pessoais e anônimos de como o ser humano é capaz de ser mesquinho. Me vi pensando no quanto isso ainda me pega de surpresa e, logo em seguida, me senti aliviada.
Não, não fiquei doida, nem gosto de ser surpreendida negativamente pelas atitudes alheias. Fiquei aliviada porque ainda tenho em mim a capacidade de me surpreender, que é consequência de manter a fé no outro e acreditar que as coisas podem ser melhores do que são.
Claro que só vou compartilhar aqui  o exemplo anônimo: estava indo pro trabalho e parei na faixa de pedestres para um idoso atravessar. Atrás de mim, uma mulher num baita carrão buzinou, acelerou e me ultrapassou na faixa contínua, quase levando um teco da bunda do senhorzinho e me xingando e espumando de raiva.
Não é a primeira vez que isso acontece nesse mesmo lugar mas, nem por isso, será a última vez que irei parar para um pedestre. E não faço isso por bondade, ou porque quero ser bacaninha. Faço porque é o correto e me faz bem agir dessa forma.
E também vou continuar acreditando (mesmo que o pé pule e a pulga também se esconda atrás da orelha) que a vida tem que melhorar, que as pessoas podem ser mais educadas e menos egoístas.
Afinal, a vida se faz boa nos pequenos gestos. Aqueles mínimos, mas cheios de alegria.
Como plantar, colher e transformar um maço de manjericão no pesto do macarrão do almoço.
=)