Páginas

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Carteiras e superstições


(carteiras novinhas em folha, lá na loja)

Adoro quando as clientes me dão retornos satisfeitos dos produtos que saem daqui, das minhas mãos. Fico bem feliz mesmo.
Outro dia, fiquei sabendo que uma cliente que havia comprado uma carteira de passarinhos há bem pouco tempo foi roubada dentro da sua própria academia (a moça dá aulas de yoga). E só se deu conta do fato quando a pessoa que encontrou a carteira telefonou para avisar (ela disse que até contestou o senhor pelo telefone, pois não havia dado falta de nada).
O mais legal é que o senhor que achou disse que notou "uma coisa bonita e colorida" em cima do muro quando chegou em casa. Era a carteira!
E ele ainda ressaltou que, se não fosse colorida, talvez não tivesse percebido.
Já minha irmã presenteou sua professora de yoga (mais uma!) com uma carteira de flor de lótus há uns anos. Faz uns meses, ela disse que viu a moça de carteira nova (minha irmã é reparadeira de detalhes que nem eu!). Mas, logo depois, a professora voltou a usar a carteira lilás e minha sis disse que achou graça, pois a moça afirmou que essa dava mais sorte!
Falando em sorte, tenho uma amiga que só gosta de usar carteira vermelha, cor que para os japas atrai dinheirinho no bolso. Mas abriu uma exceção quando se encantou por uma lilás e marrom, lindérrima (e continua com sorte!).
Eu acredito em uma pitada de sorte. Mas não naquela tipo de sorte malandra a la Zé Carioca. Sou mais de acreditar na sorte de fazer as coisas com bons pensamentos, no carinho dos detalhes, no cheirinho de lavanda do tecido (passo água perfumada em todos os meus panos) e no entusiasmo de criar o que gosto. Me considero uma pessoa de sorte, mesmo quando me esqueço e fico irritada com qualquer pequeneza da vida. De vez em quando meio que que esqueço, mas tenho o que preciso, na medida em que preciso.
E poder emprestar um pouquinho dessa minha sorte talvez seja uma discreta forma de gratidão.
Bom final de semana a todos.

9 comentários:

Rosana Sperotto disse...

Andas "mandalando" também então... Elas ficam tão lindas junto com as estampas! Senti o cheirinho da lavanda aqui. Acho que foram "respingos" de sorte (rs). Beijo, bom final de semana!

Taia Assunção disse...

Que graça Ana, engraçado que apesar das pequenezas do dia a dia nos irritar profundamente ou superficialmente lá no fundo sabemos que o que temos é o suficiente. Corremos atrás de um pouco mais porque não sabemos o dia de amanhã e tampouco se as oportunidades irão se repetir, mas o essencial certamente é o mais importante...nossa família amorosa e com muita saúde. Beijocas e bom final de semana.

Priscila disse...

Bom dia..
São lindas, parabéns.
Bom fim de Semana.
Kisses

Thiara Ney disse...

Oi Ana,
Eu acredito exatamente nisso. O carinho e dedicação que a gente coloca na produção de cada peça só tem como levar coisas boas para as clientes. Elas recebem tudo cheio de energia, né!?
;)
Bjos!

MIRIAM REGINA disse...

ANA, SEUS TRABALHOS SÃO LINDISSIMOS

pARABENS

BEIJOS

MIRIAM REGINA

Eliane M. disse...

Oi Ana, encontrei seu blog agora e me perdi nele, delicia.
Lindos trabahos.
Bjs

acasinhaencantada.blogspot.com

Milena disse...

Pois é,Ana.Só estou te esperando para colocar um pouquinho a mais de sorte na minha mesa,rs!!
Aliás,sua vibe já está sendo espalhada pela casa,
bjs

Katia Bonfadini disse...

Oi, Ana! Gostei da seguinte frase e me sinto assim também: " Me considero uma pessoa de sorte, mesmo quando me esqueço e fico irritada com qualquer pequeneza da vida. De vez em quando meio que que esqueço, mas tenho o que preciso, na medida em que preciso." Que ótima maneira de pensar, né? Também me considero abençoada apesar de alguns percalços no caminho... mas a vida é assim mesmo, né? Tem altos e baixos e nem sempre nos sentimos com sorte, mas se eu for avaliar minha vida como um todo, realmente não posso reclamar... E bola pra frente!!!! Acho que espalhar gentileza e boas energias faz a maior diferença!!!! Bjs!

Laély disse...

É o seguinte: é aquele tipo de coisa que ninguém por perto vai ter igual ao seu. Quando abro minha bolsa e vou tirando necessáire, carteira, porta-moeda, tudo, em tecidos lindos e exclusivos, não há quem não se encante!